10 de janeiro de 2015

AS CINCO MARCAS DE UM CORAÇÃO INCRÉDULO Edward Payson


AS CINCO MARCAS DE UM CORAÇÃO INCRÉDULO 
 Edward   Payson
 
  15 Porventura queres guardar a vereda antiga, que pisaram os homens iníquos?16 Eles foram arrebatados antes do seu tempo; sobre o seu fundamento um dilúvio se derramou.17 Diziam a Deus: Retira-te de nós. E: Que foi que o Todo-Poderoso nos fez?18 Contudo ele encheu de bens as suas casas; mas o conselho dos ímpios esteja longe de mim.                   Jó 22;15,16,17

 
 Disse  o nosso Mestre Divino, “Larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição; e muitos são os que entram por ela”. Desse modo amplo Elifaz  fala aqui, Inferindo que por causa das aflições por que passava, Jó deveria ser um homem mau. Ele pergunta-lhe se ele tinha devidamente considerado a velha forma que havia sido trilhado por outros homens maus de séculos anteriores, que foram cortados antes do seu tempo, cuja fundação foi derrubado com o dilúvio.
Meus ouvintes, esta é uma questão importante. Se alguns de vocês nunca tenham devidamente considerado a forma que pisaram os homens iníquos, permitam-me, em seguida, tentar resolver esta questão para você. –Vou tentar aqui traçar esse caminho em que os incrédulos andam, para mostrar em que consiste e qual é o seu término.
I.                Vamos considerar o próprio caminho.  Trata-se, você vai observar, mesmo no tempo de Elifaz, um caminho antigo, uma forma que há muito tempo vem sendo praticada. Na verdade, é quase tão antiga como a raça humana, ou como o mundo que eles habitam; para que foi formado nos dias de nossos primeiros pais, no momento em que eles comeram do fruto proibido. Em seguida, a porta larga, que conduz ao caminho largo, foi aberta e, infelizmente, nunca mais foi fechada
 
 "E quando a mulher viu que a árvore era boa para se comer, e que era agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido com ela, e ele comeu. "
Nesta conta o comportamento do primeiro pecador que vemos, em primeiro lugar, o egoísmo, ou uma preferência de si mesma a Deus; Se Eva amasse mais a Deus, teria escolhido obedecer  aos seus mandamentos, e não satisfazer a si mesma. Este deve ser sempre o primeiro pecado; Qualquer criatura que prefere Deus em lugar de si mesma, ela vai escolher  agradar a Deus e não  a si mesma; é claro, ela vai evitar todo pecado, e nenhuma tentação vai induzi-la  a ofender o seu Criador, enquanto ela o ama com todo seu coração. Mas, tão logo qualquer criatura começe a preferir aos seus desejos ao invés dos desejos do Senhor, ela vai escolher  satisfazer a si mesma; ao invés de agradar o seu Criador; e, naturalmente, cometer qualquer pecado, que lhe promete a satisfação própria ou auto-engrandecimento.
A segunda coisa a ser notada na condução do primeiro pecador, é o orgulho. Ela viu que era uma árvore desejável para dar entendimento; ou seja, ela imaginava, como o tentador tinha afirmado, que iria levá-la a tornar-se como um deus, conhecedores do bem e do mal. Agora, este desejo foi o efeito do orgulho; e foi acompanhado pelo atendente inseparável de orgulho, o descontentamento; descontentamento com a situação em que Deus a tinha colocado.   -Este Pecado é a consequência natural do egoísmo;pois assim que começamos a nos preferir ao invés de preferir a  Deus, vamos querer nos colocar no lugar de Deus, e se elevar acima da esfera de ação que ele nos colocou.
A terceira coisa em sua conduta, o terceiro passo no caminho do pecado, era sensualidade, ou uma disposição para ser governado e orientado por seus sentidos, e buscar sua gratificação de forma ilícita. Ela viu que o fruto da árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos. Aqui era algo para satisfazer dois dos sentidos, os de degustação e ver; e esta gratificação, embora proibido, ela estava determinada a desfrutar. A influência do pecado, que até então só existia nas paixões da mente, começou a estender-se aos apetites do corpo, e por essa influência que eles estavam inflamados, a tal ponto, que a levou a desconsiderar os ditames da razão e de consciência, e os mandamentos de Deus.
O próximo passo no caminho fatal, foi descrença; uma desconfiança da palavra de Deus, e uma consequente crença de sugestões do tentador. Deus havia dito: "No dia em que tu. Comeres, tu certamente morrerás". Esta ameaça agora ela não acreditava mais.O tentador disse: "Deus sabe que vós certamente não morrereis; mas no dia em que comerdes dele, seus olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal." Nesta mentira ela acreditou. Esta descrença da palavra de Deus, e de crença de sugestões de Satanás, eram a consequência natural de pecados já mencionados; para quando as paixões e os apetites estão inflamadas pela influência do pecado, eles imediatamente começam a cegar o entendimento de tal maneira, que já não pode descobrir a evidência que atende a verdade divina, nem a força desses argumentos e motivos, que nos deve levar obedecê-la. 
 E isso, de fato, é a fonte de toda a incredulidade que prevalece no mundo;  E por fim veio o ato da desobediência, Ela tomou do fruto da árvore e comeu. Assim, ela abriu a porta larga, pela qual tem entrado todos os homens ímpios e o caminho pelo qual os  homens ímpios, desde então tem trilhado. 
O primeiro passo, foi o egoísmo; o segundo, o orgulho; o terceiro, sensualidade; a quarta, a incredulidade; e o último, real, aberto, desobediência deliberada. 

Esta porta é uma barreira larga, e muito  bem trancada. Trancada por todas as ameaças e avisos de Deus em sua palavra. A incredulidade, ao ignorar essas ameaças, vai arrancar os cadeados e, em seguida desobediência  vai estourar abrir o portão, e o pecador apressadamente e sem restrições, vai andar neste caminho largo. E como o primeiro pecador não estava disposto a caminhar neste caminho sozinho, ele se tornou um tentador, ao apresentar o fruto fatal a seu marido, e persuadi-lo a comer; e ele, desde então, caminhou neste caminho de morte e continuou  seduzindo seus parentes, amigos e conhecidos para segui-los.
Mas sem insistir nisso, vamos traçar o progresso mais distante dos primeiros pecadores em sua carreira fatal. Embora tivessem descrentes das ameaças de Deus, eles logo descobriram, como mais cedo ou mais tarde, todos os pecadores descobrirão, que a sua incredulidade, não ficará sem punição. Antes do fim do dia, o Criador  veio a chamá-los para um acerto de contas; e de sua conduta, naquela ocasião, podemos obter um quadro detalhado de uma mente infectada pelo vírus do pecado.


Eles exibiram dureza de coração, impenitência, e desprezo pelo perdão. Eles não expressaram nenhuma tristeza ou arrependimento, nada como um coração quebrantado. Eles não fizeram nenhuma confissão do pecado; não proferiam gritos de misericórdia; Não expressaram nenhum desejo de serem  restaurados para o favor de sua juiz ofendido.
Eles exibiram sim um temperamento para se auto-justificar. Adão tentou jogar a culpa em cima de sua esposa; e ela, por sua vez, esforçou-se para transferi-lo para a serpente.

Eles mostraram uma disposição para lançar  sobre Deus, a culpa de sua desobediência. "A mulher que me deste por companheira, ela me deu do fruto da árvore, e eu comi."
De uma maneira precisamente semelhante o mesmo vai acontecer com os pecadores que não aceitam a Cristo.
Eles não vão confessar os seus pecados; 
Eles não vão se arrepender deles; 
Eles não vou Chorar por misericórdia; 
Eles não vão procurar o favor do seu Deus ofendido. Pelo contrário, eles vão se desculpar e justificar-se, e, indiretamente, lançar a culpa de sua conduta pecaminosa ao Senhor, dizendo: as paixões, apetites e inclinações, o que tu lhes deste nós, nos levaram a agir como temos feito. Este, impenitente, a auto-justificado temperamento , junto com as coisas que foram mencionadas anteriormente, constituem o antigo caminho da maldição, que pisaram os homens iníquos de outrora. 
APLICAÇÃO.

Após ter se esforçado para traçar a velha forma em que pisaram os homens iníquos, para mostrar em que consiste e qual é o seu término; Permita-me, ao aplicar o assunto, perguntar a todos,
1.      Se alguns de vocês não estão caminhando desta forma? São alguns de vocês culpados de egoísmo em preferir o seu próprio gratificação para a glória de Deus e a felicidade de seus semelhantes? 
2.      São alguns de vocês influenciado pelo orgulho e descontentamento e estão a murmurar por uma situação em que Deus colocou você, e tentam superá-la, recorrendo a meios que ele proibiu? 
3.      São alguns de vocês controlados por seus apetites e paixões pecaminosas, e inclinações, e não pela razão, consciência, e no temor de Deus? Ter esses conselheiros maus levou muitos  de vocês ao desejo de comerem a fruta proibida; para satisfazer de uma forma ou de outra, o que a lei de Deus proíbe? 
4.      Alguns entre vocês não acreditam nas declarações solenes de Deus, que a alma que pecar morrerá; que os ímpios serão lançados no inferno, juntos com Satanás e seus demônios? 
5.      São alguns vocês de mundana mente e estilos de vida sem religião e descuidados; agindo como se o seu único negócio fosse ganhar dinheiro e aproveitar esta curta e passageira vida? 
6.      São alguns entre vocês capazes de se desculparem em todos os erros e se justificarem em suas pérfidas condutas, a expensas do seu Criador, dizendo em seus corações, os apetites, paixões e inclinações de minha carne foi o Senhor que me deu, tentando culpar o teu Senhor pelo mal que você próprio fez? 


Se você, enganado pelas astutas ciladas do inferno, negligenciar o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo; substituindo os seus próprios trabalhos ou méritos no lugar de sua expiação; confiando em suas próprias orações em vez da  sua intercessão, e assim, como os judeus, procurando estabelecer a sua própria justiça? Essas coisas, você vai lembrar, constituem a velha forma, que os homens maus em todas as idades têm trilhado; e se eles são encontrados em seu temperamento e conduta, então você está andando dessa mesma forma.
Se você se sentir incapaz de determinar com certeza qual é o caminho que você está perseguindo, permita-me mencionar três coisas, o que pode ajudá-lo a determinar onde você está. Em primeiro lugar, lembre-se, mas há duas maneiras mencionado na escritura, em uma delas todo homem estará andando. Uma delas é que o que já foi descrito, o caminho antigo e amplo que pisaram os homens iníquos, e que leva à destruição; o outro é o bom e estreito caminho, igualmente antigo, marcado pelo Filho de Deus, em que os patriarcas, profetas, apóstolos e mártires têm andado, o que leva à vida. Agora, uma vez que só existem estes dois aspectos, é evidente que todos os que não estão andando no último está perseguindo o primeiro. 
Em segundo lugar,  Informe-se, em seguida, se você está neste último, o caminho estreito. Ele é  totalmente, e em todos os aspectos, ao contrário do primeiro. Aqueles que andam nele são extremamente influenciado, não por egoísmo, mas pelo amor que não busca os seus interesses;
Não não por orgulho, mas por humildade
não pelo descontentamento, mas por aquiescência constante na vontade de Deus. 
Em vez de entregar-se e buscar satisfazer seus apetites e paixões, eles os negam, mortificam,  e crucificam-nos; 
Em vez de descrer nas ameaças de Deus, eles acreditam nelas, bem como suas promessas; eles são celestiais  e não terrenos ; eles condenam, em vez de justificarem a si mesmos; eles dependem de Cristo para a aceitação e salvação, e não em qualquer trabalho ou méritos próprios, mas sobre a expiação e intercessão de Cristo somente; e na dependência de sua graça querem viver uma vida de abnegação, vigilância e oração, procurando andar assim como ele andou. 

Em terceiro lugar, Se este, meus ouvintes, não é o seu caráter; Se você não está andando neste caminho; então você está certamente no antigo e amaldiçoado caminho em que os maus homens pisaram; pois não há caminho do meio. Quem não é com Cristo é contra ele. Corra hoje mesmo para perto de Jesus, pois só Ele pode fazer você se converter e mudar de direção .

www.elescreram.blogspot.com.br/2013/10/edward-payson-um-verdadeiro-apostolo-de.html