7 de outubro de 2012

H E ALEXANDER Fundador da Casa da Bíblia

História da Casa da Bíblia Quando falamos em história da Casa da Bíblia, não podemos deixar de falar de uma obra missionária chamada Ação Bíblica. Quando Deus chama um indivíduo ou uma obra, ele o faz em virtude de um plano. O plano de Deus para a Ação Bíblica começou com a conversão de um homem em 1901. O escocês Hugh Edward Alexander (1884-1957) aceitou ao Senhor Jesus Cristo como salvador e consagrou sua vida a Seu serviço. Ingressou no Instituto Bíblico de Glasgow em 1904, durante um período em que o País de Gales passava por um reavivamento da igreja. Afirmou-se então na vida de H. E. Alexander: a necessidade do testemunho, a visão missionária e o engajamento no combate pela fé. Depois de sete anos de profundos estudos das Sagradas Escrituras e perseverantes orações, iniciaram-se os trabalhos com crianças, cursos bíblicos para adultos e pregações bíblicas da salvação em Jesus Cristo. No período entre 1913 à 1918 houve campanhas de evangelização na Suíça francesa, onde manifestou-se o reavivamento produzindo as vocações daqueles que constituíram a primeira geração da Ação Bíblica. Em 1914, teve início a publicação da revista Le Temoin que imediatamente definiu-se como um órgão defensor da fé. Ao mesmo tempo H. E. Alexander abriu em Genebra, a primeira Casa da Bíblia, que tinha o nome de: Depósito das Escrituras Sagradas e Escritório de publicações da Aliança Bíblica. Em 1924 a oposição religiosa, tentou, obtendo apoio das autoridades civis, conseguir a expulsão de H. E. Alexander do território suíço. Mas quando a sua inocência foi reconhecida a manobra fracassou. Esse momento difícil ajudou a fortalecer a convicção de que Deus desejava que a obra prosperasse. A Ação Bíblia começou a se desenvolver e houve a necessidade de redigir um Manual de Instrução para os membros da Ação Bíblica que expunha a natureza da Ação Bíblica, sua missão no mundo e na Igreja de Jesus Cristo, com os símbolos da trombeta, da tocha e da espada. (Juízes 7:15-23). A trombeta se referia ao testemunho, a tocha à difusão da Palavra de Deus e a espada ao bom combate da fé. Continuando esta tarefa de organização, H. E. Alexander designou um corpo de presbíteros, iniciou a redação dos boletins de informação missionária para alimentar as reuniões de oração dos membros e abriu a Casa da Bíblia de Paris em 1925. Em 1926, nasceu a idéia de fundar uma Escola Bíblica. As coisas, então aconteceram rapidamente. Os presbíteros foram informados da decisão de comprar um terreno em Cologny. O ato da compra foi assinado em fevereiro, e uma brochura solicitando fundos para a construção suscitou um impulso maravilhoso de liberalidade. Precisavam reunir 410.000 francos suíços. Menos de dois anos mais tarde a Escola estava terminada e completamente paga pelas ofertas. A casa foi consagrada a Deus sob inspiração de Isaías 54:2-3 e a propriedade da Escola Bíblica recebeu o nome de Le Roc (A Rocha). Esta construção representava um ponto de partida para alcançar outros campos missionários como: Itália, Iugoslávia, Espanha, Portugal, Norte da África, Egito, Líbano, Índia, Ásia Central. Outras Casas da Bíblia foram abertas. Em 1928 um homem chamado Charles Kolher, deixando a Suíça, chegou ao Brasil obedecendo à um chamado do Senhor. Com a sua esposa e filha desembarcou no porto do Rio de Janeiro donde seguiu para a cidade de Teófilo Otoni, em Minas Gerais. Ali começou um trabalho de evangelização, ganhando o sustento de sua família dando aulas de francês. Seguiu então em 1936 para o Rio Grande do Sul e deixou o Brasil para se estabelecer em Buenos Aires, onde fundou uma missão evangélica. Durante o período de 1929 à 1931 outros alunos da Escola Bíblica de Genebra chegavam ao Brasil, entre eles a Srta. Trumple, o casal Berckenhagem e o Sr Willy Macco. Estes pioneiros não receberam nenhum sustento material da Ação Bíblica. Como Paulo, testemunhavam e trabalhavam para seu sustento. Em 1932 um casal (Jacques e Catarina Eisenhut) que, em 1926 tinha deixado o Brasil para gozar da aposentadoria na Suíça, voltaram convertidos ao nosso país. Abriram um depósito bíblico no seu próprio apartamento, na cidade de São Paulo. O casal, junto com a Srta. Augustina Mange que acabava de chegar da Suíça, abriram a primeira Casa da Bíblia no Brasil em 1938. Localizava-se na Rua Dom José de Barros, em São Paulo. Houve conversões nesta loja. Os convertidos formaram o primeiro núcleo da Ação Bíblica no Brasil Assim de 1924 a 1940, Deus colocou a Obra em terreno firme, deu-lhe uma estrutura e em seguida segurança para a expansão. Esta fase de fortalecimento precedeu e garantiu o alongamento das cordas e o alargamento do espaço da tenda (Is 54:2-3). Se as estacas não estivessem firmes, a tenda não poderia ser alargada. Depois de 1940 foi criada a Sociedade Bíblica de Genebra que passou a controlar as Casas da Bíblia. Esta obra tomou uma grande extensão e não parou de crescer. Em cinqüenta anos, dois milhões de Bíblias foram impressas. Além das Bíblias, Deus nos confiou um ministério de publicação de obras de evangelização e edificação, sem mencionar as revistas para crianças, adolescentes e adultos. Assim, a Ação Bíblica assume responsabilidades em relação ao Corpo de Cristo na edição da Palavra de Deus. Aos campos já mencionados, se juntaram primeiro o Brasil, depois o oeste africano. Em 1951 a Casa da Bíblia mudou-se para a Rua Senador Feijó, 133. Onde permanece até hoje. Também foram elaborados os primeiros estatutos da Ação Bíblica no Brasil. Entre 1948 e 1957 diversos obreiros vieram da Suíça (Gertrudes Sarbach, Marie Louise Luthi (Mauerhofer), Charles Mathez e família, Willy Mauerhofer, sua esposa Gertrudes e 2 irmãs Ana e Dora, os casais Reichen, Mazzoni, Roulet, Gisiger e Sra. Esther Haldimann. Em 1954, durante o IV centenário da cidade de São Paulo. Debaixo da grande marquise do Ibirapuera houve uma grande exposição onde a Casa da Bíblia participou com um estande vendendo milhares de Bíblias. O casal Timóteo e Neli Mazzoni estabeleceram-se na cidade da Bauru em 1959. Dali o Sr. Timóteo percorria os estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso e Goiás. Em dois anos de viagem mais de 13.000 Bíblias foram vendidas. Foi aberta em 1962 a filial da Casa da Bíblia em Bauru. A família Gisiger foi transferida para esta localidade. Além da Casa da Bíblia começou um intenso trabalho de evangelização, do qual resultou a Igreja Evangélica Ação Bíblica atual. Atualmente a Ação Bíblica tem cerca de cinqüenta igrejas, na Suíça, França, Itália, Portugal, na Costa do Marfim, Bolívia e Brasil. As Casas da Bíblia existem sobre 3 continentes: Europa, África e América do Sul. Nosso olhos estão voltados para o futuro, onde Deus quer nos conduzir em obras maiores tanto em profundidade como em extensão contando que o Espírito de Vida que está em Jesus Cristo nos anime e que nos mantenha fiéis para com Deus e fiéis à vocação que Ele nos deu. E até hoje com muita luta estamos levando este ministério a diante, a fim de que mais pessoas possam conhecer o evangelho, e se converter a Jesus Cristo, através do nosso ministério. Portal yohanan