8 de março de 2013

Gilbert Tennent: AVIVALISTA NORTE AMERICANO



Gilbert Tennent

 Nasceu em 1703 na Pensilvânia EUA, foi um líder religioso de descendência irlandesa. Seu pai fundou um seminário em Warminster, Pensilvânia chamado de “a cabana“, esse colégio mais tarde deu origem a famosa escola Princeton. ‘Gilbert Tennent foi um dos  precursores do grande avivamento da américa colonial junto com Jonathan Edwards e George Whitefield.  Seu sermão mais famoso foi “O perigo de ministérios não convertidos” onde compara os ministros que são contra o avivamento com os fariseus do novo testamento.


Tennent e os presbiterianos

        Os  Presbiterianos da época de Tennent de dividiam no tocante a visão do avivamento. O “lado novo” apoiava a visão de renovo e “lado antigo “ se mantinha conservador. Tennent era o mais dinâmico do lado novo da igreja presbiteriana, seu famoso sermão “os perigos de ministérios não convertidos” teve lugar de destaque no cisma que dividiu as duas alas da igreja presbiteriana da época. Entretanto a um outro lado da fé de tennent que é caracterizado pela piedade, um fato marcante na religiosidade do século 18. Esse pietismo é visto melhor no ministério de Tennent na celebração dos sacramentos com ênfase no amor cristão e companheirismo e relacionamento entre os crentes. Esse amor inspirou esse grande homem de Deus a unir os dois presbitérios de New York e Philadelphia no ano de 1758. O que a carne dividiu o Espírito ajuntou.

        Em 1741, esse “filho do trovão“, que teve sua vida transformada depois de ter poderosos encontros com o Senhor devido ao grande sofrimento que tinha na luta contra enfermidades que assolaram a sua vida por anos, começou a confrontar a ortodoxia morta com a seguinte questão: “Você que é pastor, realmente tem um relacionamento com Cristo na intimidade de seu coração ? “. Com esse desafio pela frente, Deus usou esse seu servo para ministrar vida nova sobre os velhos corações da américa colonial.    

        Tennent ganhou sua licença para pregar em 1725 e em 1976 já era pastor da igreja presbiteriana de New Brunswick, Nova Jersey. Apesar de ser filho de diretor de seminário e muito bem educado pela linha reformada holandeza que dá ênfase a precisão nas interpretações e aos estudos de exegese a nível acadêmico, ele era um homem profundamente espiritual no sentido de vida mística com Deus por causa de seus grandes sofrimentos decorrentes de sua debilidade física. No auge de seu sofrimento, apesar de ter feito grandes coisas pelo Reino de Cristo, ele declarou “ Eu tenho me sentido muito infeliz por que fiz tão pouco para Deus…De hoje em diante clamarei ao Todo Poderoso para ele me agraciar com pelo menos mais meio ano de vida e eu então zelarei pelo evangelho com toda a minha força.”   

        Sua oração foi atendida, Ele foi curado e tennent se tornou uma chama a queimar e um dos pilares do grande avivamento do século 18 nos Estados Unidos. Depois disso ele trabalhou arduamente na seara do Senhor e certa vez falou:  ” Ouço o som das trombetas do juízo de Deus “ por isso não posso parar. Ele se tornou um homem literalmente consumido pela visão da santidade de Deus e pregava apaixonadamente alertando pecadores e religiosos hipócratas sobre o juízo final. Sua mensagem era diretamente contra o pecado mostrando a gravidade de estar separado de Deus e a completa suficiência de Cristo para resgatá-los da eternidade no inferno.

        Jorge Whitefield, famoso pregador inglês disse sobre ele: “Eu nunca ouvi um sermão que vasculhasse tanto o coração, ele realmente aprendeu com Deus a discernir o coração natural do homem. Quem o ouvir certamente será convertido ou nunca mais desejará ouvi-lo “. Ele também desenvolveu um forte e público desapontamento por muitos pregadores de seu tempo os quais ele considerava que eram falsos cristãos, lobos em pele de ovelha . Esse fato o levou a escrever seu famoso sermão “ o perigo de ministérios não convertidos “.  Certa vez disse em um de seus sermões: “Eu estou verdadeiramente convencido de que a maioria dos pregadores falam sobre um Cristo que eles não conhecem e a razão pela qual as igrejas estão tão mortas é porque elas tem em seus púlpitos pregadores sem vida pregando para elas”. Usava varios textos bíblicos para alertar a igreja, entre eles 2 Tm 4.3,4 “ Virá o tempo que muitos não suportarão  a sã doutrina mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si  doutores conforme as suas próprias concupiscências e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas”.

        Assim como muitos cristãos irão concordar que é muito fácil se distanciar das difíceis realidades reveladas na bíblia sagrada entretanto nenhum discípulo de Cristo tem o direito de minorizar a terrível verdade do destino do ímpio e a fantástica salvação disponível a todo aquele que correr as fontes de água viva do poço de Jesus. É preciso coragem e humildade, a ponto de ser perseguido até pelos irmãos para entregar uma mensagem nua e crua a respeito do pecado e dos enganos de um ministério carnal que serve ao coração que não ama ao Senhor.

 

            






Obras  os perigos do ministerio na carne tennent 

 On the Danger of an Unconverted Ministry"

 

Alexander, The Log College
Biography of William Tennent
Gilbert Tennent: American Awakener
Tracy, The Great Awakening
Smithers, Gilbert Tennent