29 de agosto de 2010

CORRIE TEN BOOM



Essas são cenas do filme o refúgio secreto. Assista o filme no You-tube ou alugue em uma locadora, vale a pena. Esse filme conta a história de Corrie e sua família, que perderam tudo mas ganharam o céu.




Depois de sobreviver a um campo de concentração na Alemanha nazista ela disse "Não há abismo tão profundo que o amor de Jesus não possa ser mais profundo ainda ".
Sobrevivente do holocausto nazista
Corrie Ten Boom
Seus ensinamentes eram focalizados no evangelho, com ênfase no perdão. Em seu livro Tramp for the Lord (1974), ela narra a história de como, após estar ensinando na Alemanha, em 1947, ela se aproximou de um dos mais cruéis guardas de Ravensbruck, Ela estava relutante em perdoá-lo, mas orou para que conseguisse fazê-lo. Conforme ela escreveu:

Por um longo momento, nós tocamos nossas mãos, o ex-guarda e a ex-prisioneira. Eu jamais havia conhecido o amor de Deus tão intensamente quanto naquela hora “ trechos to testemunho de Corrie

“A medida de uma vida, afinal, não é sua duração, mas sua doação.”

Ela era conhecida por sua rejeição à doutrina do arrebatamento antes da tribulação Em seus escritos ela afirma que não há fundamentação bíblica para isso e argumenta que a tal doutrina deixou a Igreja Cristã mal preparada em tempos de grande perseguição, como na China comunista de Mao Tsé Tung. Corrie apareceu em muitos programas de tv cristãos narrando sua experiência com o holocausto, perdão e amor de Deus.


Na mesma passagem, ela escreve também que, em sua experiência do pós-guerra com outras vítimas da brutalidade nazista, aqueles mais capazes de perdoar foram os que mais facilmente puderam reconstruir suas vidas.

“A fé é como o radar, que enxerga através do nevoeiro; vê a realidade das coisas a uma distância que os olhos humanos não conseguem alcançar.” Corrie Ten Boom

Corrie acordou nesta manhde 28 de fevereiro de 1944 com uma forte gripe. Ela tinha vontade de gritar por conta dos pequenos ruídos que ela ouvia da rua lá de fora que aumentavam ainda mais a sua dor de cabeça, mas ela não podia, pois era em seu quarto que estava a porta secreta que escondia os judeus da polícia nazista e a entrada era exatamente debaixo de sua cama. Logo que amanheceu, sua irmã Betsie veio acordá-la com uma xícara de chá, dizendo : “Tem um homem lá for . Ele diz ser amigo dos judeus e procura por abrigo“, mas Betsie porém dizia não se lembrar dele. Corie entretanto não poderia esperar, pois estava em sua alma ajudar todos os judeus. Ela desceu vagarosamente as escadas e foi ao encontro do intrigante cavalheiro. O homem foi direto ao assunto
_ Preciso de ajuda! Minha esposa foi presa por ajudar os judeus e preciso de dinheiro para libertá-la. Corie ficou um tanto que desconfiada, mas seu coração não pode negar a ajuda e foi buscar o dinheiro em seu quarto. Repentinamente a luz de alarme acendeu, avisando que havia polícia perto da casa e todos correram para se esconder no refúgio secreto. Deu somente tempo para fechar a porta e a Gestapo ( polícia nazista ) apareceu derrubando tudo e perguntando onde estavam escondidos os judeus. Vasculharam toda a casa sem nada encontrarem, mas levaram presos Corie, Betsie e o seu Pai, que mais tarde foram levados a um campo de concentração nazista. Somente Corie sobreviveu, por um milagre do Senhor, quando que por engano liberaram ela no lugar de outra pessoa. Os judeus que estavam em seu refúgio secreto escaparam todos com vida, mas Betsie, sua irmã e seu idoso pai morreram por ocultarem aqueles judeus. Mas os caminhos do Senhor porém são mais altos e ali naquele campo de concentração, Corrie e sua irmã Betsie puderam testemunhar do amor de Cristo e muitos se converteram.
“Deixem as crianças vir ter Comigo!” C. T. Boom Um dia aconteceu algo muito importante enquanto eu brincava ao “faz-de-conta”. No meu mundo de fantasia, eu visitava uma vizinha que não me queria atender. Eu batia, e batia à porta dela... e nada. A Mamã, que me observava, entendendo o meu “faz-de-conta”, chamou-me: - Corrie, a tua vizinha não te atende? Eu conheço Alguém que está neste exacto momento batendo à tua porta, esperando que tu Lha abras. Estaria a Mamã brincando ao "faz-de-conta" comigo? Hoje eu sei que o meu coração infantil estava sendo preparado naquele momento; o Espírito Santo prepara-nos para receber Jesus Cristo fazendo a fim de que a nossa vida se volte inteiramente para Ele. - Jesus disse que Ele está à porta; e se tu o convidares, Ele entrará no seu coração, continuou a Mamã. E tu gostarias de convidar Jesus para entrar no teu coração? Naquele momento a Mamã pareceu-me a mais bela pessoa do mundo inteiro. - Sim, Mamã, eu quero Jesus no meu coração. Ela tomou as minhas pequeninas mãos nas suas e orámos juntas. Era tão simples; todavia Jesus diz que todos devemos ir a Ele como crianças, não importa a idade, posição social ou intelectual. Quando mais tarde a Mamã me falou sobre esta experiência de criança, eu lembrei-me dela claramente. Pode uma criança de cinco anos saber o que está fazendo? Há os que dizem que crianças não têm discernimento espiritual para tomar uma decisão, por isso devem esperar até que possam pensar por si mesmas. Creio que a criança deve ser conduzida e não abandonada ao léu da sorte. Jesus tornou-Se mais real para mim depois daquela experiência.»
Dezenas de anos mais tarde, fazendo uma palestra a um grupo, dirigi-me especialmente aos pais, incentivando-os a trazerem os seus filhinhos a Jesus. O próprio Jesus disse: «Deixem as crianças vir ter Comigo! Não as estorvem, porque o reino dos céus é dos que são como elas.» (Mt 19:14. ABíbliaparatodos). Então narrei como eu me decidi por Jesus quando tinha cinco anos de idade. Depois da palestra, encaminhei-me para uma saleta onde encontrei um pai, com dois meninos sobre os joelhos. Ele, com os braços ao redor dos dois garotinhos, falava ternamente com eles. Voltei-me sobre meus pés silenciosamente, enquanto o pai dizia com todo o amor aos filhinhos que eles não eram tão pequenos que Jesus não pudesse entrar e morar nos seus corações. Que herança maravilhosa o pai daqueles garotos lhes transmitia! Sentir que o pai os amava tanto ao ponto de guiá-los ao conhecimento do Pai do Céu! In “Na Casa De Meu Pai”, C. T. Boom Publicada por Carlos António da Rocha à(s) 20:33:00 Etiquetas: C. T. Boom