7 de setembro de 2012

ELISABETH FEDDE O anjo de New York


Elizabeth Fedde
O anjo de New York


Senhorita Feede nasceu na Noruega e veio aos EUA para trabalhar com noruegueses que trabalhavam no porto de Nova York a convite de seu cunhado. Ela era enfermeira e diaconiza e fazia tanto o trabalho de visita clinica como aconselhamento e principalmente
Ajuda prática.
Logo que chegou a América, Elizabeth não perdeu tempo, se aliou com o pastor Mortensen e estabeleceu a Sociedade Norueguesa de Apoio ao imigrante apena nove dias depois de chegar no país. Ela imediatamente começou a visitar os enfermos e abatidos e auxilia-los em tudo o que precisavam. Eal mesmo escreveu em seu diário “Comecei a trabalhar com algumas mulheres que estavam com muitas saudades de suas famílias e dar a elas uma palavra de consolo e a orar com elas para que o amor do Pai pudesse descer como o orvalho até seus corações”.
Durante seus primeiros dois anos ela cuidou de uma casa abrigo para marinheiros noruegueses e abriu um pequeno hospital com nove leitos, que mais tarde veio a se transformar no Hospital Luterano de nova York

O zelo e dedicação desta heroína da fé não passou desapercebido e ela foi chamada para abrir um centro de diaconato e um Hospital em Minneapolis, Minnesota
E planejar um Hospital para Chicago. Depois de treze anos trabalhando na América do Norte ela retornou para a Noruega, onde se casou com Ola Sletebb, que a aguardou pacientemente por longos treze anos.
Seu diário nos revela que ela era uma mulher que ia as últimas consequências para salvar uma alma. Sua vida era cheia de oração. Mas apesar disso ela escreveu em seu diário em outubro de 1884: “ Hoje encontrei uma pessoa muito doente a qual o Espírito de Deus havia trabalhado muito no coração dela e eu acreditava que a vitória pela salvação dela estava próxima…” E depois outra anotação no final do ano de 1884: “ Tenho lutado a meses em oração e cuidados por aquela pobre mulher enferma mas muito pouco progresso tenho encontrado. Realmente este ano tem sido difícil. Muito sofrimento e tribulações e poucos frutos para o Reino de Deus. Pecado e vergonha, dor e culpa, cobrem minha alma”. Estas linhas de seu diário nos confortam, pois percebemos que mesmo as mais nobres almas passam por dificuldades.
Mais tarde Elsie Smith, diretor da pastoral de saúde Luterana en Nova York falou sobre Elizabeth Fedde: “ Ela veio antes da Senhora liberdade. Eu gosto de dizer que ela era a primeira dama da baia de hudson. Ela era uma mensageira da esperança’.

Muitos vieram da Noruega em busca de um mundo melhor, mas a cidade grande é cheia de surpresas e armadilhas e milhares de imigrantes se depararam com a complexidade cultural e social de uma metrópole como Nova York, com subúrbios sujos, cheios de doenças, sofrimenteo e degradação. Neste sombrio cenário o Senhor Deus plantou uma flor. Irmã Elizabeth, com seu incondicional amor cristão, muita coragem e fé para se tornar a verdadeira dama de Manhattan



Fedde, Elizabeth. "Elizabeth Fedde's Diary, 1888." Translated and Edited by Beulah Folkedahl. www.naha.stolaf.edu/publications/volume20/ vol20_9.htm
Richmond, J.F. New York and its Institutions. E. B. Treat, 1872, source of picture.
Sevig, Julie B. "Brooklyn, a Good Place to Do God's Work." http://www.thelutheran.org/0201/page38a.html