1 de abril de 2014

Peggy e Christine Smith As intercessoras do avivamento das Ilhas Hébridas




Peggy e Christine ao lado de Duncan Campbel         
Ao oeste da costa da Escócia existe um pequeno grupo de ilhas chamado de " Hébridas ". Entre 1949 e 1952 um grande avivamento aconteceu nestas ilhas, em resposta a oração do povo de Deus. O maior instrumento desta renovação foi o evangelista  Duncan Campbell  e duas senhoras de idade que eram suas intercessoras. Elas eram duas irmãs chamadas Peggy e Christine Smith. Duncan Campbell veio para as ilhas de Lewis para fazer uma campanha evangelística de duas semanas e acabou ficando dois anos. Ele mesmo declarou em uma de suas cartas:

Em um pequeno Cottage ( tradicional casa inglesa ) bem ao lado da estrada até a vila de  Barvas viviam duas irmãs, já avançadas em dias. Peggy já tinha 82 anos e Christine 84. Peggy era praticamente cega e sua irmã Christina vivia sempre encurvada pelas constante crises de artrite que tinha. Incapazes de frequentar um culto público, sua pequena casa se transformou em um santuário onde  se encontravam diariamente com o Senhor e onde Deus lhes fez uma  promessa " Eu derramarei água sobre os sedentos e grande chuva sobre as terras que estão secas "
Depois de receberem esta palavra do Senhor, essas duas intercessoras clamavam dia e noite em oração até que um dia Peggy teve uma revelação. O avivamento estava vindo do alto dos céus e a igreja de seus pais seria cheia novamente com muitas pessoas jovens! 



Vamos orar para que Deus visite as cidades ao redor do mundo da mesma maneira e que Deus levante intercessoras poderosas como levantou estas duas guerreiras Peggy e Christine Smith, para o louvor de sua glória !


Uma noite, enquanto outras pessoas vieram para orar, eles passaram a noite orando em redor de uma pequena fogueira. Foi quando a irmã Peggy teve uma visão da igreja, cheia de jovens. Ela então mandou um recado para seu pastor, o  Rev. James Murray Mackay e disse a ele para que a igreja se preparasse em oração , pois Deus iria mandar um avivamento.

Na mesma noite, quando a presença de Deus visitava aquela pequena casa, foi também revelado que o Senhor enviaria um servo dele chamado  Duncan Campbell, um ministro presbiteriano e um grande homem de oração. Deus falou que em duas semanas ele enviaria aquela comunidade um grande mover, o qual nunca tinha acontecido naquele lugar.

Foi então enviado um convite para Duncan vir pregar nas ilhas , mas ele disse que não poderia, pois tinha compromissos em sua capela no Highland town of Skye. Então ele disse: “ É impossível para mim ir agora, mas estejam orando , pois no próximo ano  certamente irei”.

Quando veio a resposta do pastor Duncam para as duas irmãs elas disseram: “ Isso foi o que o homem disse, mas Deus falou que ele estaria aqui em duas semanas”

Surpreendentemente, os compromissos de Duncan foram cancelados, devido a um evento público local, que havia tomado todas as acomodações da cidade e em duas semanas, Duncan estava nas ilhas Hébridas junto com as duas irmãs, tal qual o Senhor já havia revelado.

 Duncan Campbell chegou a Barvas a após se encontrar com o pastor James MacKay e dois de seus presbíteros um deles lhe perguntou:  "Mr Campbell, o senhor anda com Deus? " "Bem, eu posso dizer que eu temo a Deus" foi o que Duncan respondeu.

O primeiro encontro

A primeira reunião foi na velha capela da igreja, muitas pessoas vieram,  porém nada de extraordinário aconteceu. Duncan Campbell estava um pouco desanimado e um dos diáconos lhe falou: ‘ Não desanime, pois o Senhor já me revelou que a sua chuva está vindo, já posso ouvir o barulho dos trovões. Nós teremos outra vigília de oração e então nós veremos o que Deus irá fazer”

 Eles se reuniram em aproximadamente trinta pessoas para orar junto com as irmãs Smith e lá pelas 3 da manhã Deus começou a se manifestar e muitos caíram ao chão prostrados e não puderam mais se levantar por causa do peso da glória do Senhor.

Depois de terminada a vigília, o grupo foi para casa e no caminho encontravam pessoas caídas chorando em oração, suplicando a Deus por perdão dos pecados e por misericórdia. O avivamento havia começado!

Na segunda noite, ônibus começaram a chegar de todos os cantos da ilha, lotando a igreja. Alguns incrédulos que vinham por curiosidade ao culto, eram salvos antes mesmo de chegar a igreja, tomados por profunda convicção de pecados e grande quebrantamento de coração.

Assim que o pregador começava o sermão, lágrimas já começavam a rolar pelas faces e muitos, tanto homens como mulheres clamavam pelo perdão divino e choravam copiosamente diante do Senhor.



Tão profundo era a agonia nos cultos, que os gritos poderiam ser escutados bem longe da igreja!  Nesse momento um jovem começou a orar e orou por mais de uma hora e entregou a igreja o salmo 132 que assim dizia “ Não darei sono aos meus olhos, nem repouso as minhas pálpebras, até que eu encontre lugar para o Senhor, morada para o poderoso de Jacó”

Nesse momento muito mais eram as pessoas fora da igreja dos que as de dentro e a partir daí a igreja passou a cantar hinos de louvor a Deus até que todo povo voltou a suas casas.



www.wmpress.org