6 de maio de 2015

W P NICHOLSON O TORNADO DO PÚLPITO

Billy Nicholson - O Whitefield  irlandês



 "O barulho dos pés sem Cristo na estrada para o inferno está quebrando meu coração." 
Retrato de um pregador do Avivamento 
Por Leonard Ravenhill
No ano de 1900 um "pequeno bando" de quatro pessoas marcharam  pela rua principal de Bangor na Irlanda do Norte. Os dois membros com uniformes eram moças do Exército da Salvação; os outros dois eram homens jovens. Um desses homens tinha uma mente afiada como o fio da navalha; o outro (de acordo com o primeiro) "não tinha cérebro suficiente nem para ter uma dor de cabeça."
Um dos jovens  ia na frente batendo um pequeno pandeiro desafinado. Ele prometeu recentemente que pelo amor de Cristo, ele iria a qualquer lugar e faria qualquer coisa a qualquer custo. Ele então estava  nas ruas de sua cidade natal, tocando um pandeiro, com uma camisa vermelha com escritas atrás dizendo: “ Liberto da opinião pública” ao lado de duas moças uniformizadas do exército da salvação. Não tinha cena melhor para quebrar o medo deste jovem pelo opinião dos outros. Ele a pouco estava andando pela rua sozinho quando este moça do Exército da Salvação pediu-lhe para ficar com os outros três na esquina da rua para testemunhar de Cristo.
Para este jovem.  isso era como um grande gigante e neste dia ele  realmente enfrentou o seu Golias.
O nome deste jovem era W P Nicholson, conhecido com Jimmy pelos amigos, ele estava com medo de enfrentar o seu medo. Além disso, os cínicos olhos arregalados de todos que passavam pioravam a situação. Que batismo foi esse! Seu inimigo público número um era a opinião pública. Seu encontro com Deus havia sido uma experiência dele sozinho na montanha. Agora ele estava no vale da humilhação.
Mas o que ruim pode se tornar ainda  pior (como os irlandeses dizem), pois naquele dia pareceu que todos os seus amigos e parentes tinham combinado de passar por aquela esquina
Vendo o dilema, uma das moças do Exército sugeriu aos quatro que se  ajoelhassem e  pedissem  ao Senhor que "assumisse o controle da situação." Pobre Billy! Agora ele estava ajoelhado na esquina mais movimentada de sua cidade, orando com duas moças uniformizadas e com um pandeiro na mão. Então eles começaram a orar e Billy desejou que essa oração fosse tão longa como o Salmo 119. Então algo aconteceu. Quando Billy levantou-se de pé, ele foi liberto para sempre de qualquer sensibilidade à opinião pública. Sua reputação morreu e ele teve um funeral público nessa reunião de  rua. (Para morrer e ser enterrado publicamente não leva muito tempo!)
Para os espectadores que zombavam e tiravam sarro, este pequeno evangelismo de rua poderia ter sido olhado como comédia. Mas, para este jovem foi a mais gloriosa de suas experiências com Deus. Parecia uma marcha triunfal como em “Aida de Verdi”. Era uma sensação de vitória sobre o inimigo, um sentimento de um general ao vencer uma batalha. Billy foi triunfante. Ele tinha acabado de perder o que ele nunca queria encontrar de novo e tinha acabado de descobrir que ele nunca quis perder. Ele perdeu sua reputação e o medo do homem e encontrou a alegria e a paz da plenitude transbordante do Espírito. Aleluia!
Essa reunião foi a sua introdução para um mundo de evangelismo. Ai estava WP Nicholson ( conhecido por milhões como apenas WP). Ele era tão irlandês como a relva e áspero como as colinas de Donegal.
Coragem foi o que nunca faltou para este jovem. Aos quinze anos ele navegou longe de casa como um marinheiro aprendiz. Seu treinamento era rigoroso. Ele tinha sido criado no mar, em embarcações à vela e passava até cinco meses  sem ver terra. Ele havia sobrevivido a um furacão em Cabo Horn. Ele tinha lutado homens com velhos e mais fortes e os tinha vencido.

WP foi salvo em 1899 e apenas alguns meses mais tarde (e apenas algumas horas antes deste famoso episódio da reunião de ruas em Bangor) tinha tido uma libertação a moda antiga do pecado. Antes ele era crente, mas era pacato e sério demais, mas depois desta libertação que recebeu do Espírito Santo, ele começou a chorar e cantar e alegrar-se como qualquer um antigo  Metodista Livre.
Por causa de suas reuniões, muitos homens estão no ministério hoje, golpeando as fortalezas de Satanás e arrebatando almas do inferno. Um deles é meu amigo Andy Mays, o velho bêbado que foi salvo na reunião de Billy.
Na primeira noite Andy Mays participou da reunião, mas ele dizia altivamente sentado em sua cadeira. "Nicholson não vai conseguir me tirar daqui". Mas na noite seguinte Andy estava lá novamente, não conseguia deixar de vir. Quando saiu, ele repetiu sua promessa: “Não deixarei esse pregador me convencer”. Na terceira noite, Andy sentou-se no  "andar de cima". Mas quanto mais alto você for, mais você vai cair. Naquela noite, Andy caiu bem nas mãos de um Deus misericordioso.
Andy agora ocupa o púlpito da "Beach House", do lado de fora de uma cidade chamada Lisburn, nove milhas de Belfast. Andy andou muito e bem. Mas o evangelista que lhe mostrou "a luz que brilha lá" (como disse Bunyan) foi Billy Nicholson.
WP tornou-se um vencedor destemido e ganhador de almas. Ele era entusiasmado e eficaz. A Bíblia se tornou seu livro e seu maior prazer estava em testemunhar sobre Jesus levar outros a conhecerem o Senhor.
Wilbur Chapman e Charles Alexander pediram-lhe para acompanhá-los para a Austrália. Como na Irlanda, também na Austrália; haviam poderosos movimentos do Espírito. Mais tarde, Peter Connolly uniu com ele. Dezenas de milhares vieram a Cristo , e incontáveis homens e mulheres tinham para si uma vida cheia do Espírito.
Assim como grandes homens de Deus como Finney, Billy Sunday, Dr. Torrey,  WP usou as tardes de domingo para fazer reuniões apenas com  homens. Um minuto e os homens estavam doloridos de tanto rir; minutos depois, eles estavam tremendo com convicção. WP poderia jogar com as emoções, medos e temores da alma humana como Mendelsson tocava órgão.
Muito poucos cristãos têm conhecido o ofício de evangelismo melhor do que Nicholson. Ele orou, ele estudou, ele chorou, ele advertiu, ele implorou, ele pediu, ele persuadiu, ele ameaçou. Ele fazia "tudo para todos os homens que ele podia para de algum modo, salvar alguns." Quando ele entrava em um púlpito, ele o fazia com “ suor em sua alma." Não seria exagero dizer "as portas do inferno não poderia prevalecer contra ele."
Um exemplo de sua pregação pode ser visto o tempo que ele deu uma grande mensagem em João 3:16. No convite para aceitar o amor de Deus, não havia um movimento. As armas de WP foram carregados naquela  noite  com uma mensagem de medo sobre o inferno. Sem nenhuma piada naquela noite!  Sem nenhum rodeio teológico! Sem nenhum atalho! Sua mensagem foi crua e sem tempero. Ouvi homens cristãos dizerem que eles iriam 100 milhas para ouvir WP pregar sobre os perigos do inferno.
Billy certa vez estava sentindo um grande fardo espiritual porque as pessoas estavam desafiando o amor de Deus. Ele pregava no púlpito e parecia um atleta de tanto que transpirava; a multidão ouvia  e também transpirava, tal era o clima da reunião. WP chorou em nome do Senhor; a multidão gritou no temor do Senhor. Após a mensagem, WP ergueu o pé e com um aviso solene disse  "agora vou chutar vocês para o inferno já que vocês  não querem ser salvos pelo  Senhor. "Vocês não quiseram o perdão de Deus na noite passada? Então, recebam o seu juízo hoje à noite!" Não houve oração de encerramento, nem  bênção e nem amém e quando a multidão  atordoada  percebeu, o pregador já tinha ido embora e  o culto tinha sido encerrado abruptamente.
Por seu procedimento irreverente no púlpito, meu amigo PC foi até  Billy e o  advertiu: "O povo nunca mais virá para ouvi-lo ."
"Se o inferno for somente a metade  ruim do que eu pintei  hoje à noite, no próximo  domingo à noite todos vão querer sair dele", respondeu Billy.
Como ele estava certo! No próximo domingo à noite houve um cardume de almas. A convicção do pecado os tinha atormentado durante toda a semana e eles estavam prontos para se render.
Em assuntos espirituais e bíblicos, Nicholson não se dobrava pra ninguém. Ele era muito consciente de sua filiação a Deus. No entanto, ele foi igualmente consciente de que ele era um servo de Deus, e ele ajudou a todos os que buscavam sua ajuda. Esta foi a grande coisa sobre WP
Muitos copiaram WP ; Mas ele não copiou ninguém. Ele viajou pelo mundo todo pregando sermões e acompanhado grandes pregadores. No entanto, ele não assimilou seus métodos nem seus estilos. Ele tinha o seu próprio método individual "pescar almas", e assim ele pescava dessa forma. Como um homem de Deus, ele manteve aquela estranha originalidade que o Senhor lhe dera.
A oração poderia ser chamada de seu habitat, pois amava orar. Suas campanhas tiveram noites e noites em meio a oração. Orando no Espírito manteve-o em espírito de oração. A partir do seu quarto de oração ele bombardeava o púlpito onde ia pregar.
Como  William Burns, Nicholson podia chorar, "O barulho dos pés sem Cristo na estrada para o inferno está quebrando meu coração." De sua pregação de fogo que poderia ser dito, "Suas palavras eram uma chama e os corações dos homens como gramas secas."
Dois anos atrás, homens trouxeram o corpo de WP Nicholson para seu lugar de descanso. Os céus já aguardavam  a chegada deste pregador-profeta da Irlanda do Norte!
 
 Apelidado de "o Tornado do Púlpito", Nicholson passou seus primeiros anos no navio de carga de seu pai. Ele começou a pregar o cristianismo em 1899 com a idade de 23 e era conhecido por suas reuniões só de homens.Nicholson usou uma linguagem simples, que comunicou ao homem comum.

"Nicholson costumava dizer que, quando uma missão de avivamento for iniciada, não demoraria muito para se levantar um motim ou uma rebelião ao renascimento. Às vezes podemos ter uma revolta sem avivamento, mas nunca um renascimento sem um motim." Nicholson empunhou a espada do Espírito com uma grande fúria. Seus ouvintes eram sempre afetados de uma forma ou de outra. Alguns através de sua pregação foram trazidos para a humilde arrependimento, enquanto outros resistiram a Palavra de Deus com indignação. Dois temas favoritos de Nicholson foram "o amor de Deus" e "o inferno de Deus." WP Nicholson sempre pregou o amor de Deus com todo o calor ea ternura que conseguiu reunir; mas para aqueles que rejeitaram esta Boa Nova, ele ofereceu a única alternativa, O INFERNO DE DEUS . Ele pregou em todos os aspectos do inferno com tanto zelo e paixão que os seus ouvintes alegavam ser capaz de quase sentir o cheiro do enxofre. Outros ainda, sob profunda convicção e ansiedade, pingavam de suor sobre os hinários que detinham em suas voltas. Através deste tipo de pregação fervorosa, Deus trouxe comunidades inteiras frente a frente com a pergunta: "Que farei com Jesus?" . Outro comentarista no trabalho de Nicholson disse que não tinha visto nada como isso desde os dias de DL Moody.