16 de março de 2014

ROBERT AITKEN pregador metodista


ROBERT AITKEN


Enquanto reavivalismo já não era a base da alimentação espiritual do  Wesleyanismo de Manchester, que persistia na valorização das experiências passadas, houve, durante o início dos anos 1830 um despertamento no metodismo na pessoa do Rev. Robert Aitken, um vigário anglicano ordenado na Ilha de Man, cuja espetacular conversão após 16 dias de jejum e oração contínua foi seguido de perto por compromissos com o reavivamento. Sua primeira visita ao Manchester em setembro 1833 atraiu reações diversas dos círculos Wesleyanos. Edmund Grindrod , superintendente metodista do circuito de Irwell Street, recusou-lhe qualquer tipo de alojamento nas capelas Salford, pois  Mr Aitken era acusado de fanatismo e criticado por ser quase selvagem em suas pregações.

No entanto, ele foi saudado por Warren no circuito de Oldham Street, onde seu estilo de pregação lembrou os primitivos metodistas que pregavam sem pompa mas com muita liberdade e autoridade. Robert Aitken começou então a pregar ao era livre,e como um reavivalista que pisou fora dos limites eclesiásticos, Aitken deu peso à crença de que um ministério organizado muito formal, era uma afronta  a simplicidade cristã. Além disso, foi considerado inevitável que o tradicionalismo exagerado passaria a ser o cemitério de qualquer reavivalista aspirantes com considerações acadêmicas diferentes das delimitadas na igreja oficial e seriam um impedimento  para a pregação simples e poderosa.

Mr. Aitken foi um dos primeiros pregadores nas ilhas britânicas a expor o Mormonismo'.
 

O avassalador surto de cólera em sua cidade e os constantes problemas causados com os tradicionais metodistas, fizeram o Sr. Aitkin ser um  trabalhador em evidência no renascimento metodista do seu tempo. Essas dificuldades da vida  o tinham transformado em um poderoso pregador do evangelho, e ele tinha um ardente e  brilhante luz em sua pregação.