4 de fevereiro de 2015

William Jay, O pregador que se tornou grande por dizer não a grandeza

William Jay
O pregador que se tornou grande por dizer não a grandeza




Quando tinha apenas dezenove anos, foi  oferecido a William Jay uma chance de fazer algo grande e notável como um pregador do evangelho.Uma grande porta para ele pregar o evangelho em Londres estava aberta. Ele iria o braço direito de um dos mais proeminente pastor do momento.  Ele também teria oportunidade de trabalhar ao lado de outros pastores renomados da época. 

Como alguém poderia dizer "não" a um futuro como esse? E, no entanto, "não" é exatamente o que William Jay disse. Ele recusou a oferta e preferiu iniciar seu ministério pastoral em uma igreja pequena, obscuro e pobre do país. Por que ele fez isso? Qual foi o resultado? O que podemos aprender com isso?

Por que ele escolheu  começar pequeno?
Em primeiro lugar, porque o seu amigo e mentor, pastor  Cornelius Winter aconselhou-o a isso. E  Jay ouviu os  conselhos de seu mentor, entendendo que essa era o caminho da revelação de Deus ( através das autoridades que estão sobre nós ).



Em segundo lugar, porque Jay pensou que sua experiência ainda não se equivalia a seus dons. Porque ele era tão jovem, seria  sábio para ele "garantir mais preparação para o posto  de um pastor titular.

Qual foi o resultado?
Depois de três anos de trabalho pastoral, Jay recebeu um chamado para uma igreja em que ele iria servir para os próximos 62 anos. "Em termos de utilidade e resultados" o ministério de Jay em Argyle Chapel, "dificilmente pode ter um paralelo na história Inglês Igreja." Ele tornou-se ", um dos pregadores mais conhecidos na Inglaterra" por mais de meio século.
Olhando para trás, William Jay disse que se ele tivesse optado por responder ao apelo Londres quando tinha dezenove anos, que teria sido um "grande erro". Pois, na verdade seu mentor (a quem ele considera um "amigo e pai") tinha previsto as coisas claramente.

O que podemos pensar sobre com isso?
  • Dizer "sim" a uma grande oportunidade de fazer algo grande, notável e imediatamente, requer, não apenas um conjunto de habilidades, mas muitas coisas mais. Habilidades para imaginar um futuro, sonhar, avaliar e tomar decisões antes de chegar lá e "depois de chegar lá", outro conjunto de habilidades é o que se requer a fim de permanecer no novo local, assim que chegar. Uma coisa é sonhar com um ministério urbano próspero, na mesma rua de John Newton, uma vez que teria sido para Jay. É outra coisa para realmente fazer o trabalho dia após dia para essas pessoas e também como um jovem aprendiz de direção autoritária, personalidade e fama de um Sr. Rowland Hill, a quem Jay teria servido se tivesse aceito o convite. 
  •  
  • Possuindo os dons para nos levar a algum lugar, não significa que nós temos a experiência, tempero, temperamento ou carisma para nos manter lá. Precisamos de um conselho sábio para avaliar tudo.
  •  
  • Dizer "não" a uma oportunidade maravilhosa não significa que nossas vidas e ministérios estão no prejuízo ou que perdemos a chance de nossa vida.
  •  
  •  Um tipo diferente de ministério, que Jay não podia imaginar na época, estava no coração de Deus para ele. 
  • Nós não estaríamos talvez  hoje falando sobre ele, como  um dos maiores pregadores da história da Igreja, se ele não tivesse um humilde começo .
  •  
  • Infelizmente para a maioria de nós a sua história permanece desconhecida. O que aqueles que conhecem William Jay podem dizer sobre ele é isto: um homem incansável no trabalho pastoral, muito  útil a comunidade, que foi fiel a sua única igreja por 62 longos anos, sem nunca ter se tornado cansativo ou repetitivo;Um legado que se destaca no tempo até hoje.
  •  
Dele Charles Spurgeon disse: "Orem por mais “Jays”.  Gostaríamos de poder trocar umas  duas ou três dúzias de bons pregadores por este grande mestre em Israel chamado William Jay de Bath ".

Em um memorial, erguido perto da igreja em que pregou por anos, estava escrito estas  palavras que atestam sua vida e testemunho “ Em memória ao sábio e santo William Jay, o grande e útil pregador do evangelho da salvação. Ele foi um bom homem, cheio do Espírito Santo e de fé.” (At 11:24) (Veja a autobiografia de William Jay , páginas 52, 130