7 de janeiro de 2016

RICHARD BAXTER - O PASTOR AVIVADO



Richard Baxter foi o pastor e o evangelista mais destacado da época puritana. Os seus sucessos na povoação de Kidderminster foram assombrosos. A Inglaterra ainda não tinha visto antes nenhum ministério parecido. A povoação tinha cerca de 2000 habitantes e na maioria eram ignorantes, grosseiros e degenerados. Mas, depois da chegada de Baxter, a situação modificou-se de forma dramática. Ele disse: “Agradou a Deus converter a muitos... Inclusive a famílias inteiras e em numerosos grupos entraram na Igreja”. Um século depois, quando George Whitefield visitou Kidderminster, escreveu a um amigo o seguinte: “Fui grandemente animado ao descobrir que um aroma suave da doutrina, das obras e da disciplina do Senhor Baxter, ainda permaneciam nesse lugar”.



 

Baxter cria que o ensino era a tarefa principal do ministro. Baxter disse o seguinte: “Se Deus reformasse os ministros e os avivasse a cumprir zelosa e fielmente os seus deveres, então, certamente o povo seria reformado e despertado. Todas as Igrejas serão fortalecidas ou debilitadas na mesma medida em que o ministério seja forte ou débil”




O livro O Pastor Reformado ( No inglês moderno, “ avivado “ ) foi e ainda é, dinamite; e como tal causou um impacto imediatamente.  C. H. Spurgeon comentava que tinha o hábito de escutar a leitura deste livro aos domingos pela tarde. O assunto é que cada pastor deverá efetuar um plano para evangelizar e ensinar sistematicamente a todas as pessoas que assistem na sua Igreja.
O pastor ”AVIVADO”
1.       O CUIDADO DE NÓS MESMOS. - Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a Igreja de Deus, que Ele resgatou com o Seu próprio sangue.” (At 20:28 )
1.2: A NATUREZA DESTE CUIDADO.
1 - . Primeiro, tem cuidado de ti mesmo. Assegura-te de que hás sido verdadeiramente convertido. Toma cuidado de não estares pregando acerca de Cristo a outros, enquanto que tu mesmo estejas sem Cristo. Foi prometida aos fiéis pregadores do Evangelho uma recompensa gloriosa, mas tu jamais desfrutarás desta recompensa, a menos que tu mesmo tenhas recebido primeiro o Evangelho. Há muitos pregadores que estão agora no Inferno, os quais advertiam, muitas vezes, os seus ouvintes da necessidade de escapar dele. Ser não convertido é terrível, mas ser um pregador não convertido é muito pior. Contudo, é comum que um pregador não convertido não se precate da sua própria condição. Diariamente tem contato com as verdades preciosas e exteriormente vive uma vida santa. Ajudar-te-á no dia do juízo dizeres: “Senhor, Senhor, preguei em Teu nome”, somente para escutares as terríveis palavras “aparta-te de Mim, não te conheço”? Aconselho-te a que confesses os teus pecados diante da tua grei e lhes peças que orem pela conversão do seu ministro. Oxalá que cada estudante de teologia entendesse isto. De que vale estudar, se isto não nos conduz ao conhecimento de Deus e da Sua graça salvadora?  A  única sabedoria verdadeira consiste em ver, adorar, amar e a deleitar-se em Deus, tal como Ele Se revelou na Sua criação

2 - . Sê diligente em manter-te numa boa e saudável condição espiritual. Primeiro prega os teus sermões a ti mesmo. O teu povo observará se tu tens passado muito tempo com Deus e eles serão beneficiados. O que mais ocupa o teu coração ser-lhes-á comunicado mais eficazmente a eles. Se o nosso amor, a nossa fé ou a nossa reverência diminuem logo se manifestará na nossa pregação, quiçá nem tanto no que pregamos, mas na maneira como o fazemos. E o nosso povo sofrerá. Se por outro lado, estivermos cheios de amor, de fé e de zelo, então o nosso ministério trará refrigério e alento. Passai muito tempo em comunhão com Deus. Se não fizerdes isto, então tudo irá mal. Deveis obter dEle o fogo celestial para consumir os vossos sacrifícios. Se o teu ardor for artificial não podes esperar a bênção de Deus. Os pecados vergonhosos e as heresias começam normalmente com pequenos desvios. Frequentemente Satanás aparece como um anjo de luz para te atrair às trevas. Se cederes ante o orgulho ou caíres no erro, então serás uma maldição em lugar de uma bênção para o povo de Deus. Portanto, toma cuidado tanto para teu próprio benefício, como para o de outros. Sobe ao púlpito no zelo do Senhor, para que os corações dos ouvintes possam ser aquecidos, antes de saíres do serviço.
3- Assegura-te de que o teu estilo de vida não contradiga o teu ensino, de outro modo, terminarás desfazendo todo o bem que pudesses ter feito. Se as nossas vidas forem inconsistentes, as pessoas logo pensarão que há muito pouca verdade no cristianismo e que a nossa pregação é somente palavreado. Se o que dizemos é a sério, então púnhamos em prática o que dizemos. Uma só palavra de soberba, uma explosão de irritação, ou um só ato egoísta podem destruir rapidamente todos os teus trabalhos.



 Não estás preparado para aguentar insultos e ofensas, não estás disposto a controlar o teu temperamento, a mortificar o teu orgulho e a acomodares-te aos pobres para ganhar almas? É estranho ver como alguns pregam muito cuidadosamente, mas vivem descuidadamente. Devemos ter muito cuidado de ser fazedores da palavra e não somente “faladores”, enganando-nos a nós mesmos. Devemos ser tão cuidadosos acerca da nossa forma de viver, tal como somos cuidadosos a pregar. Se desejamos ganhar almas, então esta será a nossa meta, tanto como quando estamos no púlpito, como tanto quando estamos fora dele. Sê diligente para usar toda a tua vida para Deus e não simplesmente a tua língua.
Mantém uma conduta e uma forma de falar que sejam irrepreensíveis. A tua vida deveria condenar o pecado e inspirar a piedade em todos os aspectos. Se quiseres que o povo cuide bem das suas famílias, então, deverias cuidar bem da tua. Não há nada que se compare com a mansidão e a auto negação como meios para vencer os preconceitos. Resiste à tentação de usar a tua autoridade para pressionares as pessoas à submissão e à obediência. Sê amigo de todos, especialmente dos membros pobres da tua Igreja. Isto pode ser um caminho eficaz para fazeres muito bem.
Rogo-te que sejas generoso e compassivo. Usa os teus recursos materiais para suprir as necessidades dos outros. Provê livros espirituais e edificantes para o teu povo. Não é um crente verdadeiro aquele que recusa compartilhar o que tem quando Cristo lho peça. Se mais ministros praticassem a auto negação, isto abriria mais corações para receberem a mensagem da tua pregação. A religião sem auto negação é hipocrisia. Não é necessário que vivamos como num mosteiro, não obstante, devemos usar tudo o que temos para Cristo.
4. Toma cuidado para não caíres nos pecados que condenas nos outros. Como podes exaltar a Cristo como Senhor, se tu estás quebrantando as Suas leis? É mais fácil condenares o pecado que vencê-lo. Toma cuidado para manteres o teu corpo: “sob disciplina não seja que, depois de teres pregado a outros, tu mesmo venhas a ser desqualificado”. (1Co 9:27)
5. Assegura-se de teres o que necessitas para seres um bom ministro do Jesus Cristo. Temos de vencer muitos preconceitos e muita obstinação. Necessita-se de muita capacidade para fazer com que a verdade seja clara ante a consciência de cada um. Requer-se muito conhecimento para responder a todos os argumentos errados contra a verdade. Necessita-se de muita sabedoria para aconselhar. Isto é algo que uma pessoa qualquer possa fazer? Não pensas que é necessário fazeres um grande esforço para te equipares a fim de cumprires uma obra tão exigente? Subtraíres-te aos teus estudos não te ajudará a ser um bom pregador. Somente Deus nos pode ajudar e equipar-nos, mas se nós formos frouxos e negligentes no uso dos meios que Ele nos tem dado, isto apagará o Espírito. Portanto, não percas mais tempo. Estuda, ora, investiga e pratica! Este é o caminho para melhorares as tuas habilidades.

2: MOTIVOS PARA TOMARMOS CUIDADO DE NÓS MESMOS.
1.       Toma cuidado de ti mesmo porque tu, igualmente como outros, tens uma alma para ganhar ou para perder. Ainda que pudesses pregar o Evangelho e também guiar outros a Cristo, mas, sem santidade jamais serás salvo. Podes pregar acerca de Cristo e não obstante descuidá-lo; podes pregar sobre o Espírito e estar-Lhe resistindo. Podes falar acerca da fé e permanecer incrédulo; podes ensinar acerca da conversão e permanecer não convertido. E podes pregar sobre o Céu, enquanto que continuas vivendo mundanamente. Poderias ser o maior pregador do mundo, mas sem a graça de Deus no teu coração, continuarás como não salvo. Os pregadores do Evangelho serão julgados pelo Evangelho. Portanto, toma cuidado, porque tu tens uma alma que será salva ou perdida eternamente.

2.       Como todos os outros, tu tens uma natureza caída com tendências pecaminosas. Se Adão sendo sem pecado, caiu porque não tomou cuidado, quanto mais, deveríamos tê-lo nós! Tal como uma pequena faísca pode começar um incêndio florestal, assim também um pecado conduz a outros. Até os crentes mais santos têm nos seus corações restos de orgulho, de incredulidade, de ambição egoísta e todo o tipo de pecado. Somos seduzidos facilmente pela necedade e pela concupiscência; e então, o nosso juízo distorce-se, o nosso zelo esfria-se e a nossa diligência debilita-se. Se tu não tomares cuidado do teu coração traiçoeiro, muito em breve este encontrará uma oportunidade para te enganar. Os pecados que pensavas que tinham sido desarraigados há muito tempo, reviverão. Posto que tu és tão débil e propenso a pecar, deves ter muito cuidado de ti mesmo.
3.      Toma cuidado porque és um alvo especial de Satanás. Como servo de Cristo, representas uma ameaça séria para o poder de Satanás. Este sabe que se tu caíres, então a tua Igreja será uma presa fácil para ele. Ele usará contra ti as mais subtis sugestões, as tentações mais persistentes e os ataques mais ferozes. Satanás pode disfarçar-se como um anjo de luz. Ele pode enganar facilmente os homens mais inteligentes sem que eles se dêem conta. Tu podes pensar que estás avançando muito em tua fé, quando em realidade tens estado traindo a Cristo. Tu não verás o fio e o gancho, muito menos o vê o sutil pescador, enquanto que ele te está tentando com seu anzol. Este anzol será tão atraente para a tua natureza e para o teu temperamento que tu serás fortemente atraído por ele. Se Satanás tiver êxito em arruinar-te, então ele usar-te-á para tu arruinares outros. Será um triunfo para Satanás que tu sejas infiel ou que caias em pecado. Ele reprovará a Igreja dizendo: “Este é o vosso piedoso pregador”. Glorificarse-á contra Cristo e dir-Lhe-á: “Eu posso converter os Teus melhores servos em traidores”. Finalmente, acusar-te-á a ti de teres manchado e desacreditado o teu ofício. Portanto, toma cuidado de não dares a Satanás a oportunidade de gabar-se acerca da tua caída.
4.      Toma cuidado de ti mesmo, porque muitos olhos estão postos sobre ti. Se caíres em qualquer sentido, todo o mundo escutará a triste noticia. Outros podem pecar sem que muitos o notem, mas tu não. Deverias dar graças porque isto te ajudará a tomar cuidado. Portanto, vive como alguém cuja vida está exposta publicamente à vista de todos. Há pessoas maliciosas que estariam dispostas a deleitar-se nos teus mais pequenos erros. Se eles não podem encontrar em ti nenhum falta, estarão até dispostos a inventá- las. Portanto, quão cuidadosamente deveríamos viver ante os olhos de tantos maliciosos observadores!

5.      Toma cuidado de ti mesmo porque os teus pecados envolvem maior culpabilidade. a. Posto que tu sabes mais que os outros, então tu pecas mais contra a luz.  Os teus pecados envolvem mais hipocrisia. A tua tarefa é a de pregar contra o pecado, expondo a sua natureza vil. Como podes ser privadamente indulgente? Serás um inimigo do pecado em público, mas seu amigo em secreto?  Os teus pecados são mais traiçoeiros. Cada crente declara a sua lealdade a Cristo estando contra o pecado. Sendo ministro, essa lealdade é maior. Cada vez que tu pregas sobre o pecado ou o juízo; e cada vez que administras o Batismo ou a Ceia do Senhor, isto implica o teu rechaço do pecado e a tua união com Cristo. Que classe de traidor serias, se abrigasses lugar no teu coração para o pecado!

6.       Toma cuidado de ti mesmo porque os teus deveres requerem uma graça especial. Os dons e as habilidades inferiores podem ser suficientes para os deveres menos exigentes. Todavia, se vieres a ser ministro do Evangelho, necessitarás mais que uma quantidade ordinária de graça. Deverias assegurar-te de que Deus realmente te tem chamado e equipado para esta obra. Alguns que tinham servido a Cristo numa posição menos exigente, entraram para o ministério só para trazer um desastre sobre a Igreja. Se queres pelejar as batalhas do Senhor e aguentar as cargas do ministério, então, certamente terás de ter muito cuidado de ti mesmo.
7.       Toma cuidado de ti mesmo, porque a honra do Senhor depende de ti. Quanto mais perto estamos de Deus, mais os nossos fracassos trarão desonra ao Seu nome. Para um crente verdadeiro a honra de Deus é mais preciosa que a própria vida. Suportarias que as pessoas atirassem à cara de Deus a sujidade dos teus próprios pecados? Pensa sobre a dor que os demais crentes sofreriam por causa das tuas ofensas. Portanto, tem cuidado acerca de cada palavra e de cada determinação que tomas, porque a reputação de Deus ante o mundo é da tua responsabilidade. Se falhares, Deus restaurará a Sua própria honra, mas a tua própria vergonha não será tirada tão facilmente.

8.      Toma cuidado de ti mesmo porque o êxito da tua obra depende disto. Rara vez Deus usa homens que não são aptos para a grande obra do Evangelho .

 a. Esperas que Deus usará homens que vivam para eles mesmos e não para a Sua glória? Alguns entram no ministério como numa carreira ou para ganhar o respeito e uma reputação para si mesmos, ou por algum outro motivo egoísta. Deveria surpreender-nos o fato de que Deus não abençoe tal ministério? Os resultados da tua obra são somente o que esperaríamos de agências humanas e naturais.
b. Podes esperar o êxito, se fores um ministro infiel ou descuidado no teu trabalho? Se a tua fé for somente intelectual e o teu ardor é pura emoção, então a tua pregação será inútil. Podes tu chamar seriamente os pecadores a arrependerem-se, se tu nunca apreciaste a baixeza do pecado e o valor da santidade? Podes ter compaixão pelos outros e procurar conduzi-los a Cristo, se não tens tido compaixão de ti mesmo e tampouco foste a Cristo? É impossível amares os outros mais do que a ti mesmo. Não podes advertir as pessoas sobre o Inferno, se tu não creres nele. Se queres ganhar almas, então deverias crer firmemente na Palavra de Deus, na vida vindoura e viver uma vida cheia de zelo e santidade. Aqueles que descuidam as suas próprias almas não são aptos para cuidar de outros.
c. É possível pelejares contra Satanás, se fores seu servo? A pessoa não convertida é serva de Satanás. Este é o porquê de muitos ministros religiosos serem inimigos de Cristo. Eles podem falar sobre Cristo e a piedade, mas em secreto estarão fazendo tudo o que é contra Ele. Caluniam a todos aqueles que amam a Cristo chamando-lhes hipócritas ou fanáticos. O inimigo mais perigoso é aquele que está no meio de nós. Eles podem dar a aparência de serem pregadores ortodoxos, mas por dentro são controlados pela mundanalidade, pelo orgulho, pela incredulidade e por uma aversão à piedade. Os hipócritas podem parecer sinceros porque é mais fácil falar contra o pecado que vencê-lo. Eles podem estar felizes quando outros se arrependem, mas ao mesmo tempo podem continuar desfrutando das suas concupiscências secretas. Não podes pelejar seriamente contra o pecado e Satanás, a menos que verdadeiramente os odeies como os destruidores das almas dos homens e como os inimigos de Cristo. Muito longe de odiar o pecado, um não crente ama-o mais que tudo. Tal homem está totalmente incapacitado para conduzir o povo de Deus e rogar a outros para que renunciem ao mundo e à carne.
d. As pessoas não levarão a sério ao homem cuja vida não concorda com a sua pregação. Pensarão que não fala a sério, porque não faz o que diz. Se alguém disser que sua casa está a arder enquanto que se relaxa numa poltrona, todos pensarão que está brincando. As pessoas estão mais dispostas a crer no que vêem que no que escutam. Pensarão que a tua pregação contra o pecado é puro palavreado, se observarem que és egoísta, mundano ou descuidado. Seria como dizer-lhes: “Não há nenhum dano ou perigo”. Se tu falhas em corrigires o teu próprio comportamento e a tua maneira pecaminosa de falar, eles pensarão que estas coisas não são importantes. Além disso, isto dar-lhes-á um pretexto para criticar os ministros mais piedosos dizendo: “Eles inquietam-nos com a sua pregação sobre o juízo e o Inferno, enquanto que tu te ris e brincas connosco”. Eles pensarão que pregas somente porque te pagam. É suficiente, para fazer daquele que fala de Cristo aos domingos, um ministro do Cristo, mas que durante a semana vive para agradar-se a si mesmo?


 Finalmente, recorda que o êxito dos teus trabalhos depende inteiramente da bênção do Senhor. Cristo prometeu ao Seus servos fiéis que a Sua presença estará com eles; que o Seu Espírito Santo morará neles; que as Suas palavras estarão nos seus lábios e que Satanás será derrotado ante eles. Mas estas promessas não são para os Seus servos infiéis. De fato, a infidelidade provocará ele ser abandonado e a trazer ruína sobre todas as suas obras. Na Sua soberania, é possível que Deus pudesse usá-lo para fazer algum benefício ao Seu povo, mas isso seria algo incomum.