18 de dezembro de 2015

O VERDADEIRO SENTIDO DO NATAL - R G LEE

ALGUÉM SABE O QUE É O NATAL?
por Robert G. Lee (1886-1974)
"E aconteceu que, como os anjos se retiraram deles para o céu, os pastores disseram uns aos outros; Vamos já até Belém, e vejamos isso que aconteceu e que o Senhor nos fez saber. "Lucas 2:15


Existe apenas uma coisa  que pode satisfazer completamente nossa mente e nosso coração. É Jesus Cristo, o Filho do homem sem pecado; o Filho de Deus com poder.
Simeão, esperou muito tempo para ver "a consolação de Israel", vendo a Cristo, que recém havia nascido, ele falou que agora poderia descansar em paz, porque  seus olhos viram a Salvação de Deus.

Teríamos nós  tal satisfação, se  nossos corações, ao invés de contemplar a Cristo, olhassem para as vaidades deste mundo ?
Voltemos então, os olhos da nossa mente para Belém.
Andando na Glória celeste, o Pai imaginava em sua Santa Mente: Que cidade escolherei eu para fazer nascer o meu Filho?
Jerusalém- A cidade de milhares de memórias gloriosas, cingida com diadema dentro de suas paredes. Não.
Atenas- centro intelectual do mundo. Não.
A ilustre Roma- A cidade das sete colinas, onde foram forjados os mais terríveis exércitos da terra! Também não.
Mas Bethlehem( Belém )- chamado por alguns de "um remendo de plantas daninhas ignorado pelos viajantes do mundo" -a pequena aldeia em que nunca nada havia ocorrido para engrandecê-la.
Belém, A Casa do Pão, outrora desdenhada, mas agora, rota das estrelas do céu, palco de coral de anjos, destino de Reis sábios do oriente, com ouro, incenso e mirra em sua bagagem para oferecerem aos rei dos Judeus que havia nascido. "Tu Belém Efrata, embora sejas pequena entre os milhares de Judá, de ti  virá aquele que há de reinar em Israel"
Considere a diligência dos pastores
"Pastores .. guardavam durante a noite o seu rebanho." - Lucas 2: 8.
Estes pastores eram homens pobres, honestos e trabalhadores. Não  eram líderes de exércitos, não eram expositores de filosofias, nem defensores de teorias políticas, nem banqueiros contando pilhas de dinheiro. Vigilantes de seus rebanhos. Essa é uma palavra para aqueles que são devidamente diligentes em suas tarefas comuns. Para esses, a boa notícia foi anunciada. Não foi para os que estavam dormindo, para os preguiçosos, mas foi para os que diligentemente trabalhavam para cuidar das ovelhas de  seu patrão. Esses humildes pastores também nos mostram que as duas moedinhas de uma pobre mulher e os grandes sacos de dinheiro de um homem  rico, são para Deus a mesma coisa e mostra também que Deus procura pessoas em lugares humildes para o serviço e as honras do serviço.
"Seja diligente para que possais ser encontrados por ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis". -Il Pe 3: 14.
Quando olhamos para Belém, vamos fazer isso com todo esmero e atenção que nós possuímos.
Dá ouvidos à Declaração Divina
Para José, "o anjo do Senhor apareceu .. .dizendo: Não temas em tomar Maria por sua esposa! ... Ela dará à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles "(Mateus 1:20, 21)..
Para os pastores o anjo do Senhor disse: "Não tenha medo ... É que vos nasceu ... um Salvador, que é Cristo, o Senhor" (Lucas 2:10, 11).
Para esses mesmos pastores uma multidão do coro celestial cantou: "Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens de boa vontade" (Lucas 2:14).
Devemos ver a profundidade da descida
Que profunda descida das alturas da glória para as profundezas da vergonha; a partir das maravilhas do Céu para a maldade de terra; da exaltação à humilhação; do trono para a estrebaria; de dignidade a degradação; da adoração para a ira; dos salões do céu para os casebres da terra; da coroação para a maldição; do lugar glória ao lugar cruento na cruz!
Em Belém, humildade e glória em seus extremos, foram combinados.  Nascido em um estábulo. Deitado em um coxo de dar de comer o gado. Envolto em Panos de pobreza. Não há espaço para aquele que criou o mundo nos hotéis da cidade.
Quartos! Não há lugar para aquele que fez e conhece todos os lugares! Oh, profunda humilhação: Da mulher criatura, nasceu o Criador! Mas sua descida era o alvorecer de misericórdia. Porque nós não podemos subir a Ele, Ele desceu até nós.
Não deixes nada para fazer amanhã
"Vamos agora." - Lucas 02:15.
As boas novas foram proclamadas pelos anjos e os pastores sabiamente se puseram  imediatamente em ação. Não ouve uma demora  de uma semana, nem de um dia, nem de uma hora, nem de um minuto. 'O Salvador dos homens nasceu na Cidade de Davi? Vamos vê-lo agora! Não "quando for mais conveniente." Não "somente depois de irmos em casa conversar com nossos familiares." Mas "agora." Não "enquanto nós não termos certeza que o território está seguro sem lobos para atacarem nossas ovelhas." Mas "agora". Não "enquanto não amanhecer o dia." Mas "agora".
"Vamos agora." Vamos responder a urgência da fé e vamos ignorar os cálculos da razão, que dizem que meia noite é escuro, que as ovelhas não podem ser deixadas, pois se ouvirmos a carne, a cobiça vai decidir, a procrastinação vai  vencer". Mas esses homens simples, que haviam deixado suas camas para atender os seus rebanhos, agora deixaram seus rebanhos para obter informações sobre o Salvador. "Eles vieram com pressa."
Para ver Jesus, para servir Jesus, para seguir Jesus, tudo deve ser feito rapidamente.
Divindade Exibida
Primeira promessa de Deus ao homem culpado era que a semente da mulher ferirá a cabeça da serpente (Gn 3:15). Quanto à carne, Jesus é a semente da mulher. Mas Ele é infinitamente mais. Paulo diz:
"Mas quando a plenitude do tempo chegou, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a adoção de filhos. "Gal. 4: 4,5.
Necessário era para a nossa redenção que o Salvador dos homens devesse  ser um homem, nascido de uma mulher igual a todos os homens da raça, participante de uma natureza 100% humana, com capacidade latente para pecar. Mas Cristo  porém  foi impedido pelo poder do Espírito Santo de cometer pecado. Assim, o Cristo nascido da virgem nasceu: "santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores" –Ele veio ao mundo para assumir o nosso pecado e para tornar-se pecado por nós, porém  Ele não conheceu pecado.
Jesus é Deus manifestado na carne. Vamos até Belém, e vejamos esta grande visão. Mistério glorioso. Nós não podemos compreendê-lo totalmente. Os homens podem falar e escrever sobre isso, mas como eles tentam descrevê-lo, uma sensação de inadequação lamentável oprime a mente e nos rendemos a profundidade de todas as riquezas e de toda sabedoria e conhecimento de Deus. Podemos até falar sobre isso, mas o máximo que podemos dizer é que é indizível. 
Escuridão deplorável
Quando Jesus veio era noite no Egito, noite em Roma, a noite em Atenas, noite na Síria, na Palestina noite-noite em toda parte.  O mundo estava escuro ", como se estivesse mergulhado na sombra da morte."
O mundo era, como Milton o havia descrito: "Escuro, sombrio e cheio de sombras, em meio ao clarão de meio-dia."
Sim, uma escuridão deplorável por muito tempo cobriu a terra e o  mais sábio dos homens curvou-se "para o Deus desconhecido ".
Mas, glória ao Seu nome, "O Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou" (João 1:18). Este é aquele que é "o resplendor da sua glória [o pai], e a expressa imagem da sua pessoa" (Hebreus 1: 3.); "A imagem do Deus invisível" (Cl 1:15)
Projeto da Morte
Qual era o grande projeto de nascimento do Salvador? A redenção do homem pela sua morte. Uma troca: O Justo pelo injusto. Esse foi o grande design. "Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei" (Gal. 4: 4,5). Ele foi chamado Jesus, porque Ele veio para "salvar o seu povo dos seus pecados."
Há algo tão sublime, tão glorioso no nome de Jesus, o Salvador. Cícero, o orador romano, disse que quando se viaja na Grécia viu um pilar inscrito com a palavra Salvador. Ele admirava a plenitude no nome, mas ele era tão ignorante do seu significado cristão como uma coruja é da astronomia. Quanto mais pode um pecador redimido admirar esse  nome:  Salvador!
Mas, vendo as coisas que acontecerem em Belém, vamos odiar o
O natal longe da graça
O que significa isso? Como, em Belém, vemos Deus em todas as Suas perfeições gloriosas manifestado na pessoa de Jesus, devemos engajar nossas almas para adorar e amar e elogiá-lo e engrandecer o nome Dele,  "o Senhor Deus de Israel" "O Senhor dos céus e da terra.
Mas nós vemos a maneira vergonhosa com  que alguns comemoram a estação chamada Natal. Presentes finos, festas, jantares, luzes e espumantes. È assim que muitos cristãos ficam felizes durante os dias que antecedem o natal. Tolamente,  eles contradizem tudo  quanto  o projeto de sua vinda nos quis ensinar naquela manjedoura em Belém.
Jesus veio para "destruir as obras do diabo." Entretanto, muitos no Natal procuram manter as obras do Diabo. O que tem a luxúria e o reluzir dos enfeites a ver com a manjedoura? O que tem o vermelho e branco da roupa de papai Noel a ver com o vermelho carmesim da túnica de Jesus quando ele foi crucificado? O que a gula da ceia de natal tem a ver com a fome de justiça? O que a embriaguez das festas de natalinas tem a ver com o vinho novo? O que as obras da carne tem a ver com o nascimento de Jesus?
Jesus veio para salvar o seu povo dos seus pecados, não para exortá-los a participar dos mesmos.  Por que muitos optam por "esquecer a verdadeira mensagem do natal  ” ? Trocam a adoração ao rei vencedor se conformando com os costumes deste mundo que jaz nas mãos de um príncipe perdedor.