14 de agosto de 2013

Lyman Beecher Aboliconista Americano


Lyman Beecher      (12 de outubro de 177510 de janeiro de 1863), abolicionista e clérigo presbiteriano americano.




Um dos alunos de Timothy Dwight, Lyman Beecher (1775-1863), dedicou-se a arregimentar as forças do reavivamento em organizações permanentes que visavam evangelizar e reformar os Estados Unidos. Graças aos seus esforços, e aos de pessoas com a mesma visão, foram fundadas entidades como a Junta Americana para Missões Estrangeiras (1810), a Sociedade Bíblica Americana (1816), a Sociedade de Colonização para escravos libertos (1817), a União Americana das Escolas Dominicais (1824), a Sociedade Americana de Tratados (1825), a Sociedade Americana de Educação (1826), a Sociedade Americana para a Promoção da Temperança (1826), a Sociedade Americana de Missões Nacionais (1826) e muitas outras organizações. Essas agências deram ao Segundo Despertamento uma duradoura influência institucional que o primeiro não produziu.









Liman teve uma filha que foi mais famosa que ele, trata-se de Harriet Beecher Stowe, dela falou Abraam Linconl:

Esta mulher e este livro foram as causas da guerra entre o norte e o sul nos EUA.

Quem é Harriet Beecher Stowe?

Harriet Beecher Stowe nasceu em 1811, nos EUA. Era filha do pregador evangelista Lyman Beecher e durante alguns anos trabalhou como professora. A sua primeira publicação foi um livro sobre geografia para crianças. Em 1836, casou com um professor de teologia, Calvin Stowe. Durante a vida, Harriet escreveu poemas religiosos, livros de viagens, histórias para jornais locais, romances para crianças e também para adultos. Conheceu e correspondeu-se com Lady Byron, Oliver Wendell Holmes e George Eliot. “A Cabana do Pai Tomás” é o seu livro mais conhecido e um poderoso símbolo de liberdade: a exaltação de princípios contra a escravidão contribuiu para precipitar a Guerra Civil Americana.
 Após a publicação deste livro, Harriet foi convidada para falar sobre a escravatura na América e também na Europa. Em 1856, publicou uma segunda novela sobre o tema, “Dred”. A abolicionista Harriet Beecher Stowe morreu com 85 anos, em 1896, em Hartford Conneticutt.