27 de agosto de 2013

PHILIPP JACOB SPENER FUNDADOR DO PIETISMO ALEMÃO


Philipp Jacob Spener,




Teólogo alemão considerado o pai do Pietismo, era um autodidata que cedo percebeu o fato da reforma não estar completada. Em sua vida, entrou em contato com importantes teólogos e seus livros, tendo estes exercido influência direta em suas obras posteriores.

Sendo seguidor de Lutero, seguiu  um pouco de sua doutrina, como a salvação e justificação concedidas pela graça de Deus, mediante a somente e todas as questões que foram essenciais à Reforma do século XVI. Achava o cristianismo de sua época muito decadente, pois os pastores e membros de suas igrejas eram muito acomodados e frios com relação à vida espiritual.

Também se considerava apto a continuar a Reforma de Lutero, passando a fazer pregações e reunindo os collegia pietatis, minúsculos grupos de pessoas que se propunham a estudar e debater a Bíblia. Com isso, surgiram os Movimentos de Comunhão do século XVII, que, apesar de não se desfiliarem das igrejas instituídas, contribuíram mais tarde para que emergissem o Pietismo Clássico, o Pietismo Radical, os Movimentos de Avivamento do século XIX nos Estados Unidos e o Movimento carismático do século XX.

Spener tinha em mente o fato de que não adiantava ir à igreja e viver dançando, indo ao teatro e participando de jogos. Que aqueles que tinham abraçado a fé cristã, mas tinham esfriado, tinham que ser levados a um renascimento, do contrário estariam perdidos. Suas idéias também tiveram início ao ler obras do teólogo J. Arndt e ao estudar com o professor Christian Danhauer na faculdade teológica de Estrasburgo.

Cronologia

Nascido em Rappoltsweiler na Alsácia no dia 13 de janeiro de 1635, treinado por uma madrinha devota que se utilizava de livros de devoção como "Arndt's True Christianity", Spener foi convencido da necessidade de uma reforma moral e religiosa no Luteranismo germânico.

Ele estudou teologia em Strasbourg, onde os professores da época (especialmente Sebastian Schmidt) tinham inclinação para o "Cristianismo prático" ao invés da disputa teológica. Ele posteriormente passou um ano em Genebra, e foi poderosamente influenciado pela rígida disciplina eclesiástica e pela vida moral estrita aí prevalescente, e também pela pregação e piedade do professor Antoine Leger e dos pregador jesuíta convertido ao protestasntismo Jean de Labadie.


O Pietismo , foi um movimento distinto na Igreja alemã, originando-se através de Spener que promovia reuniões religiosas em sua casa  em que pregava seus sermões, expondo passagens do Novo Testamento e induzindo os presentes a participar na discussão de questões religiosas que surgiram. Em 1675 publicou o Pia desideria ou , cujo título deu origem ao termo "Pietists".

Nesta publicação ele fez seis propostas como o melhor meio de restaurar a vida da Igreja:


1.  Sério e profundo estudo da Bíblia em reuniões privadas, em ecclesiolae ecclesia ( "igrejas dentro da Igreja");

2. O Cristianismo sendo o sacerdócio  universal, os leigos devem partilhar no governo espiritual da Igreja;

3. O conhecimento do Cristianismo deve ser alcançado através da prática;

4.               Ao invés de ataques aos incrédulos e heterodoxos , dar um tratamento simpático e gentil a eles;

5. Uma reorganização da formação teológica das universidades, dando maior destaque à vida devocional;

6.               Um estilo diferente de pregação, ou seja, no lugar de retórica agradável, a implantação do cristianismo, no interior ou novo homem, que é a alma da fé, devendo trazer frutos para a vida.



  • Este trabalho produziu uma grande impressão em toda a Alemanha e, embora um grande número de teólogos e pastores luteranos ortodoxos tenham sido profundamente ofendidos por Spener  em seu livro, as suas reivindicações foram admitidas e muito bem justificadas. Consequentemente, um grande número de pastores imediatamente adotaram as propostas de Spener.
  • fonte: http://personalidades-do-mundo.webnode.com.br