3 de outubro de 2014

Os perigos comuns de uma liderança J. Oswald Sanders



J. Oswald Sanders

J. Oswald Sanders foi diretor consultivo da Overseas Missionary Fellowship ((então conhecido como China Inland Mission ) na década de 1950 e 1960. Ele é autor de mais de quarenta livros sobre a vida cristã. Ele se tornou um estadista e conferencista em todo o mundo. Recentemente foi agraciado com a Ordem do Império Britânico por serviço cristão e escritos teológicos.

“Olhos que olham são comuns. Olhos que vêem são raros”


Os perigos comuns de uma liderança
(Peculiar Perils of Leadership)


      
Embora existam perigos e desafios em todos os chamados de Deus, os perigos daqueles que são chamados para serem líderes são sempre maiores. Por isso, o líder cristão deve sempre lembrar que cada centímetro que ele conceder a satanás em qualquer área de sua vida, pode mais tarde lhe custar muito caro.
Vou listar aqui os principais perigos que o líder pode encontrar
A-       Orgulho
      O simples fato do líder ser levantado a uma posição de destaque já é suficiente

Para gerar um desejo secreto de gratificação própria e orgulho, que se não for eliminado, mais tarde irá tornar o líder inadequado para qualquer trabalho no reino de Deus.” Cada um que tiver orgulho em seu coração é abominação ao Senhor”(Prov. 16:5). Fortes são essas palavras! Nada é mais detestado pelo Senhor do que alguém que admira a si mesmo. Este foi o primeiro e fundamental pecado que iniciou a ruína de toda a raça humana. Foi o orgulho, o querer ser maior que os outros, que jogou o querubim ungido, o guardião do trono de Deus ao abismo eterno. Foi o orgulho de Lúcifer que o transformou em um diabo. Este mesmo orgulho também fará de um grande homem de Deus uma marionete das trevas, caso ele se afaste da humildade e simplicidade que estão em Cristo.
De todas as formas que o pecado assume, nenhuma é tão maligna como o orgulho espiritual. Ter orgulho dos dons espirituais que que o Espírito Santo graciosamente nos concedeu é não entender a graça de Deus de que tudo o que temos nos foi dado sem merecimento algum, mas pela graça do Senhor.

A pior parte do orgulho é que este pecado é raramente detectado pela sua vítima, mas existem, no entanto, três testes que podem  ajudar a descobrir se o orgulho espiritual já tomou conta do coração:
1-        O TESTE DA PREFERÊNCIA      
     Como você reage quando outra pessoa é designada para assumir um cargo que nós sempre cobiçamos ? Quando outro é promovido e nós somos esquecidos? Quando outro nos supera em dons e habiblidades?



2-        O TESTE DA SINCERIDADE
     Em nossos momentos de honesto auto- exame, nós reconhecemos falhas em nosso caráter e em nosso procedimento, mas como nós nos sentiríamos se ouvíssemos estas mesmas coisas de uma outra pessoa, especialmente se fosse uma pessoa a qual não gostamos?
3-        O TESTE DO CRITICISMO
      
      As críticas que recebemos despertam hostilidade e ressentimento em nosso coração e nos levam a correr   para rapidamente encontrarmos uma boa desculpa? Nós corremos para a defesa sempre que somos criticados?
      Se nós formos honestos, quando nós nos medimos pela vida de Nosso Senhor que a si mesmo se humilhou até a morte e morte de cruz, não podemos fazer outra coisa a não ser nos envergonhar da corrupção e vileza de nosso coração.
B-        CIÚME
      Ciúme é um parente próximo do Orgulho. Uma pessoa ciumenta sempre está suspeitando dos outros. Essa tentação veio para Moisés através da tocante lealdade de seus próprios amigos. -"Eldad and Medad estão profetizando no arraial." O raivoso Josué disse para seu mestre, "Moisés meu senhor, não permita eles fazerem isso" (Num. 11:28). Os dois assistentes estavam profetizando e os leais seguidores de Moisés ficaram com ciúmes, pois queriam que somente Moisés profetizasse da parte do Senhor.


Mas o ciúme e a inveja não encontram lugar de descanso na regenerada natureza de quem fala com Deus face a face e Moisés lhes respondeu      "Vocês estão com ciúmes por minha causa?  " Tomara todos aqueles que são do Senhor fossem profetas." O LÍDER QUE É CIUMENTO PELA GLÓRIA DO SENHOR NÃO PODE LIGAR PARA O SEU PRÓPRIO PRESTÍGIO.”    Ele está sempre segura nas mãos de Deus.
C-      POPULARIDADE
      Sempre existirá na igreja, aqueles cuja falta de sabedoria tem preferência exagerada pelos seus líderes e conselheiros espirituais e não raras vezes os exaltam acima dos limites do evangelho de Cristo.

      Essa prática já era encontrada na igreja de Corinto e levou Paulo a escrever: "Quando um diz eu sou de Paulo e outro eu sou de Apolo, não é evidente que andais segundo os homens? Quem é Apolo? E quem é Paulo? Servos pelos quais vocês vieram a crer e isto conforme o Senhor concedeu a cada um. Eu plantei, Apolo regou, mas o crescimento veio de Deus . . .Porque de Deus somos COOPERADORES" (I Cor. 3:4-6,9).
      Uma exagerada diferença de líderes em uma igreja, onde uns são muito procurados e outros muito esquecidos é uma marca certa de IMATURIDADE ESPIRITUAL E CARNALIDADE. E a aceitação passiva dessa diferença pelo líder é também evidência de uma liderança fraca. Paulo ficou estarrecido com a preferência de alguns por ele e repudiou isso com muito rigor, pois sabia, que estava competindo com o próprio ESPÍRITO SANTO se levasse em frente esse desejo por preferência de homens dentro da igreja de Cristo.
Não é errado ser muito amado por aqueles que devemos servir, mas sempre haverá o perigo da devoção que deve ser sempre a Jesus, ir um pouco para o líder, principalmente se ele permitir e pior ainda se ele gostar disso.

Líderes espirituais devem ser grandemente amados pelo trabalho que fazem, mas o amor nunca pode se degenerar para a adulação e a veneração.


      O líder sempre terá grande sucesso quando atrair a afeição de seus liderados mais para Cristo do que para ele mesmo. Ele pode corretamente se firmar no fato de ter um serviço frutífero e apreciado, mas ele precisa recusar veementemente todo tipo de idolatria ou admiração doentia.
      Qual líder que não deseja ser popular e bem falado pelas pessoas? Certamente  não há virtude alguma em ser impopular e medíocre, mas a popularidade pode cobrar um preço muito elevado. Jesus tornou isso claro como o cristal, quando Ele disse, "Cuidado quando todos os homens falarem bem de você."Lc 6.26 e quando também falou:  Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós. Regozijai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus”  Mt 5.11
      O bispo  Stephen Neill disse: "Popularidade é o mais perigoso estado spiritual que se possa imaginar, porque facilmente nos leva ao orgulho espiritual, que arrasta o homem a perdição.”
A popularidade precisa ser cuidadosamente observada e o líder que se tornar popular deve se cercar, imediatamente de pessoas humildes e centradas na palavra para lhe darem um feedback contínuo e em caso de perigo, se afastar do centro das atenções e buscar o isolamento o mais rápido possível, pois a cobiça, uma vez concebida, dá a luz ao pecado, que certamente irá matar a alma desapercebida.

     Spurgeon disse certa vez:
O sucesso pode vir até mim e ele certamente virá a menos que eu me lembre que Deus é quem faz todo o trabalho e que ele pode continuar fazendo sem a minha ajuda, pois o que fiz ou farei não fiz por mim, mas pela graça que me foi dada em Cristo Jesus.”  
D-      INFALIBILIDADE
      Espiritualidade não é igual a infalibilidade. O fato de uma pessoa ser guiada pelo Espírito Santo pode fazê-la pensar que ela cometerá menos erros que alguém que anda na carne, mas enquanto ela estiver nesta terra, dentro deste corpo e desta mente humana limitada, essa pessoa nunca será infalível. Até mesmo os apóstolos da bíblia, divinamente chamados e cheios do Espírito Santo cometeram erros e foram advertidos. (Gl 2.11-15.)
      O líder que conhece a Deus e provavelmente conhece o Senhor mais do que seus colegas está sempre em grande perigo em cair inconscientemente na cilada de ser infalível. Geralmente, esse tipo de tem dificuldade de aceitar conselhos ou reconhecer algum tipo de erro identificado por alguns de seus irmãos.Por isso, o líder que busca muito ao Senhor, precisa estar sempre disposto a ouvir os outros com muita atenção e estar preparado para ser confrontado e até reprovado por um irmão de menor posição, pois Deus quem ele quer.
Profeta ou líder?

      Um pregador que possui o chamado para estar a frente na Casa de Deus, mais cedo ou mais tarde teráde escolher entre ser um líder popular das pessoas ou um impopular profeta de Deus.
Este dilema foi muito bem explicado nas palavras do Dr. A. C. Dixon, que foi pastor da  Moody Church em Chicago, Illinois e depois no  Spurgeon's Tabernacle em Londres:
      "Todo pregador tem de ser primariamente um profeta de Deus que prega assim como Deus determina, sem ligar para ao opinião dos homens, e sem buscar resultados visíveis. Quando ele se torna consciente de que ele é um líder em sua denominação, ele então alcançou a maior crise de seu ministério.
Ele agora precisa escolher uma das duas opções:
OU SERÁ UM PROFETA DE DEUS
OU UM POPULAR LÍDER DE HOMENS
“Se ele escolher ser um líder popular e um profeta ao mesmo tempo, ele certamente fracassará nas duas funções. Se ele escolher ser um profeta o mais que puder,mas não abrir mão de sua liderança popular ele se tornará um diplomata e deixará de ser um verdadeiro profeta. Se ele decidir manter a liderança e a popularidade a todo o custo, ele se tornará um político daqueles que fará tudo para se manter no poder. "
      
Quando o excepcional pregador escocês  Robert Murray McCheyne experimentou grandes bênçãos em seu ministério, no caminho de volta para a casa, ele dobrava o joelho e simbolicamente colocava a coroa do sucesso aos pés do Senhor, a quem por direito pertencia esta coroa. Esta prática o ajudou a salvá-lo do perigo de receber a glória devida somente ao Deus Altíssimo.

Dr. Dixon também escreveu sobre       Dr. Reuben A. Torrey, homem que o Senhor usou para trazer o avivamento a metade do mundo em sua época:

      "os milhares que ouviram  Dr. Torrey conheciam o homem e a sua mensagem. Ele amava a bíblia e acreditava ser ela a infalível palavra de Deus e assim a pregava com grande fervor e convicção. Ele escolheu ser um profeta de Deus ao invés de um mero líder de homens e esse era o segredo de seu exuberante ministério.” Importa agradar a Deus do que aos homens”