7 de outubro de 2014

Posso ser um verdadeiro cristão e ser comunista ao mesmo tempo?

COMUNISMO SOCIALISTA
Bênção ou maldição?

Posso ser um verdadeiro cristão e ser comunista ao mesmo tempo?
Pode parecer um anacronismo responder a essa pergunta em pleno século XXI, praticamente depois de 30 anos do fim do grande e fracassado experimento socialista da história, a União Soviética. Porém, como o Brasil está cada vez mais abraçando ideais comunistas, é urgente relembrar a todos os cristãos a origem desse pensamento.

A idéia de construir uma sociedade justa onde todos seriam iguais e onde todos viveriam a plenitude do paraíso terrestre é extremamente sedutora, convenhamos. Acabar com a fome, com as desigualdades, com a pobreza e com as demais opressões sofridas pelo homem é algo muito atrativo. Em geral, o comunismo é pintado dessa maneira.

Claro, há um suporte gigantesco que transmite essa idéia do comunismo, algo evidentemente romantizado. Nas universidades o pensamento de esquerda é hegemônico, o que reforça ainda mais essa imagem. Em suma: transmite-se a idéia de que ser comunista é ser “contra a desigualdade”, e qualquer posição contrária a isso é encarada com péssimos olhos. 



O comunismo (ou a esquerda, digamos assim) conquistou o monopólio da virtude. Ser comunista é ser do bem, ser anticomunista é ser malvado. O fato é que a história (não instrumentalizada) mostra a verdadeira face do comunismo: opressão, miséria generalizada, genocídios e a falta quase total de liberdade.

O cerne da idéia marxista é a de que existe uma “luta de classes” que impulsiona a história. Rico VS pobre, branco VS negro, religioso VS ateu, entre outros exemplos. Portanto, Marx propõe uma revolução que enterraria de vez a luta de classes e promoveria o paraíso terreal. Para que tal paraíso pudesse ser possível, seriam necessárias algumas medidas drásticas:
1° – ELIMINAR TODA FORMA DE RELIGIÃO. Marx diz:
A miséria religiosa é, de um lado, a expressão da miséria real e, de outro, o protesto contra ela. A religião é o soluço da criatura oprimida, o coração de um mundo sem coração, o espírito de uma situação carente de espírito. É o ópio do povo”.“As leis, a moral, a religião são para eles meros preconceitos burgueses, atrás dos quais se ocultam outros tantos interesses burgueses”
O socialismo científico de Marx era essencialmente materialista. Para ele a religião era um método eficaz de enganar as massas, fazendo-as acreditar num hipotético paraíso e com isso anestesiando o ímpeto delas de lutar por uma vida melhor na Terra. Para que as massas pudessem ser conscientizadas dessa luta, a religião teria de ser esmagada, violentamente se necessário.

2° Derrubada violenta da chamada “ordem burguesa”:
Citações de Marx (extraídas do Manifesto Comunista): 
“O objetivo imediato dos comunistas é a constituição dos proletários em classe, derrubada da supremacia burguesa(patrões), conquista de poder político pelo proletariado( empregados)”

“Abolição da família! Até os mais radicais ficam indignados diante desse desígnio infame dos comunistas. Sobre que fundamento repousa a família atual, a família burguesa? No capital, no ganho individual.Extingue-se o capital e acaba-se com a família.”
“A revolução comunista é a ruptura mais radical com as relações tradicionais de propriedade.”
“Os comunistas não se rebaixam a dissimular suas opiniões e seus fins. Proclamam abertamente que seus objetivos só podem ser alcançados pela derrubada violenta de toda a ordem social existente. Que as classes dominantes tremam à idéia de uma revolução comunista! Os proletários nada têm a perder nela a não ser suas cadeias. Têm um mundo a ganhar”.
Ao longo da história do marxismo, determinados conceitos para a tomada do poder foram mudadas. Mudam-se os meios para atingir o paraíso socialista, mas não os fins. Marx prega abertamente a violência como forma para a tomada do poder.Hoje, os comunistas estão assumindo o poder pela própria democracia manipulada, onde a máquina estatal é totalmente usada para manter os ideais comunistas no poder.
CARACTERÍSTICAS COMUNS AOS COMUNISTAS
Os comunistas são, de um modo geral, relativistas e amorais.
Para eles, não importam as consequências da revolução, desde que esta seja realizada. Matar, roubar, estuprar, aterrorizar; tudo é relativo. Se for pela revolução tudo pode; se é contra a revolução, nada feito.

Uma das principais desculpas que os comunistas utilizam é a de que “Marx foi deturpado”. Vejam algumas das citações do próprio Marx e a de marxistas famosos e tirem as próprias conclusões:
- ”As classes e as raças que forem fracas demais para dominar as novas condições de vida devem ceder.” (Marx and Engels On Britain, Progress Publishers 1953) “Entre todas as nações e os grupelhos étnicos da Áustria, só houve três portadores do progresso, que desempenharam um papel ativo na história e que ainda retêm sua vitalidade – Os alemães, os poloneses e os magiares. Por esta razão, eles agora são revolucionários. A missão principal de todas as outras raças e povos – grandes e pequenos – é perecer no holocausto revolucionário.” (Engels, “Der Magyarische Kampf”;)

 “Precisamos odiar”. O ódio é a base do comunismo. As crianças devem ser ensinadas a odiar seus pais se eles não são comunistas.” (V. I.Lênin)

“Somos favoráveis ao terror organizado – isto deve ser admitido francamente.” (V. I. Lênin)
“O comunismo não é amor. É o martelo com que esmagamos nossos inimigos.” (Mao Dzedong)

“O ódio intransigente ao inimigo, que impulsiona o revolucionário para além das limitações naturais do ser humano e o converte em uma efetiva, seletiva e fria máquina de matar: nossos soldados têm de ser assim.” (Che Guevara)


“Aos slogans sentimentalistas da fraternidade, manifestamos aquele ódio aos russos, que é a principal paixão revolucionária dos alemães. Só conseguiremos garantir a Revolução mediante a mais firme campanha de terror contra os povos eslavos.” (Friedrich Engels)



O SOCIALISMO NA PRÁTICA
O socialismo seria a “fase de transição” entre o comunismo e rumo à sociedade sem classes. Nessa etapa, seria formada a famosa “ditadura do proletariado”. Aqui seria criado um super estado controlado por estes proletários, sem nenhum tipo de democracia ou liberdade que não a deles mesmos. Para que haja a possibilidade de haver um socialismo, é evidentemente necessário que este “estado proletário” reúna para si os meios de ação política e econômica, o que pressupõe uma enorme concentração de poder. Ou seja, a idéia da prática socialista já é por si só totalitária na essência! É interessante o fato de que Marx dá a receita para a criação do Estado proletário, mas não chega a uma conclusão quanto à transição para a sociedade sem estado e sem classes.

A provável organização desse Estado proletário se encontra nos dez pontos que Marx defende no
 “Manifesto Comunista”:•

“Desapropriação da propriedade latifundiária e emprego da renda da terra em proveito do Estado.
• Imposto fortemente progressivo.
• Abolição do direito de herança.
• Confiscação de toda e qualquer propriedade e a lei nacional de que toda propriedade deve pertencer ao Estado.
• Centralização do crédito nas mãos do Estado por meio de um banco nacional com capital do Estado e com o monopólio exclusivo.
• Centralização, nas mãos do Estado, de todos os meios de transporte.
• Multiplicação das fábricas e dos instrumentos de produção pertencentes ao Estado, arroteamento das terras incultas e melhoramento das terras cultivadas, segundo um plano geral.
• Trabalho obrigatório para todos, organização de exércitos industriais, particularmente para a agricultura.
• Combinação do trabalho agrícola e industrial, medidas tendentes a fazer desaparecer gradualmente a distinção entre a cidade e o campo
Educação infanil em massa



Mesmo com os avisos claros do economista austríaco, a experiência socialista foi levada adiante. Foi implantado em países enormes como a União Soviética e a China, e também em países pequenos, como Cuba. Criaram-se mitos a respeito da história destes lugares, como o de que “não havia fome na URSS”; “Cuba possui a melhor medicina e a melhor educação da América Latina”, entre outros exemplos infindáveis. Mas o mito caiu por terra quando estudiosos resolveram analisar mais a fundo a verdadeira história destas nações socialistas. Eis aqui a lista do que realmente acontece nesses países comunistas:
1 – Inexistência de democracia, partido único;
2 – Inexistência de liberdades civis;
3 – Sociedade “militarizada” ao extremo;
4 – Execução sumária de opositores do regime ou de “inimigos da revolução”;
5 – Miséria do povo, sobrevivendo à duras penas em troca de poucas migalhas;
6 – Jornais, revistas, internet, televisão, rádios e todo e qualquer tipo de mídia são controlados pelo governo. Nada é livre e toda opinião precisa ser verificada pelo sistema.
7 – Inexistência do livre mercado e da livre iniciativa;
8 – Riqueza infindável da elite dominante, vivendo no melhor estilo “burguês”.
Estes são apenas alguns pontos comuns aos regimes socialistas. Ainda sobre isso, o filósofo e jornalista Olavo de Carvalho afirma em seu artigo “O que é ser socialista”:
O socialismo matou mais de 100 milhões de dissidentes e espalhou o terror, a miséria e a fome por um quarto da superfície da Terra. Todos os terremotos, furacões, epidemias, tiranias e guerras dos últimos quatro séculos, somados, não produziram resultados tão devastadores. Isto é um fato puro e simples, ao alcance de qualquer pessoa capaz de consultar O Livro Negro do Comunismo e fazer um cálculo elementar.”
Há uma série de livros que narram os acontecimentos nos países socialistas e da lamentável situação vivida por seus moradores. Só a título de exemplo posso citar alguns livros: “Livro Negro do Comunismo”; “Arquipélago Gulag”; “A infelicidade do século”; “Fuga do campo 14” e outros vários. Neles há citações suficientes que comprovam a carnificina e a miséria gerada pelos vermelhos. E, como citado anteriormente, tudo isso foi preconizado pelo próprio Marx, jogando por terra a afirmação de que “deturparam Marx”.
A experiência socialista é o maior fracasso da história humana, ainda assim é adorada e idolatrada por um sem número de iludidos e desinformados que estão em busca do “mundo melhor”.
Diante disso, responda você mesmo, Posso ser um verdadeiro cristão e ser comunista ao mesmo tempo?

http://logosapologetica.com/nao-com