16 de outubro de 2014

David du Plessis, a voz do pentecostes

“Senhor, eles são inimigos."
- Então deve  amá-los.
"Como posso amar as pessoas que não concordam com o que digo?"
- Perdoa-lhes. 

"Eu não posso justificá-las."
Eu nunca dei a qualquer criança minha autoridade  para justificar ninguém. Eu dei-lhe plena autoridade para perdoá-los. Isso é tudo que você tem. 2

Enquanto ministros como Smith Wigglesworth e Kathryn Kuhlman levaram a experiência Pentecostal para as massas em cruzadas e avivamentos, David du Plessis tornou-se a espinha dorsal teológica da Renovação Carismática evangélica. Ele apresentou a justificação bíblica e teológica do Movimento Pentecostal para os líderes das denominações tradicionais ao redor do mundo. Embora este papel foi fundamental para a abertura da denominação histórica para o batismo do Espírito Santo nos anos cinquenta e sessenta, e o fato de que David foi reconhecido em um dos onze maiores
"shapers e shakers" do cristianismo no século XX em edição da revista Hora de setembro de 1974,  é triste notar que David é relativamente desconhecido, apesar  da importância do legado que ele deixou. 
Independentemente disso, este simples e despretensioso Sul-Africano é talvez a figura mais importante em abrir a porta para outras denominações tradicionais a respeito do batismo com o Espírito Santo.

A SEDE
David Johannes du Plessis nasceu em uma pequena cidade perto da Cidade do Cabo, África do Sul, em 07 de fevereiro de 1905, pouco mais de um ano antes de William Seymour abrir a missão na Rua Azusa, em Los Angeles, que provocaria Avivamento Pentecostal. Sempre com fome de tudo o que Deus tinha para eles, os pais de David entrou no  Pentecostes, em 1914, através dos ministérios da John G. Lake e Thomas Hezmalhalch, que tinha saído do ministério de John Alexander Dowie em Zion, Illinois. 3

Em 1916, a família de David mudou-se para Lesoto em 1966 como missionários. A área foi muitas vezes chamado de "Suíça da África do Sul" por causa dos belos, robustos, e muitas vezes cobertas de neve picos. Sua estação de missão estava na metade de uma dessas montanhas. Foi aqui que David aprendeu sobre a fé simples e sincera. Ele sabia que os africanos eram analfabetos, mas, ao mesmo tempo,  ele também percebeu que conheciam Jesus de uma maneira muito mais real do que ele mesmo conhecia.
Quando os europeus eram salvos, as mudanças levavam algum tempo para detectar, entre os africanos, as mudanças eram do dia para a noite. Ele viu que eles tinham uma fé pura, se a Bíblia diz que é de uma maneira, então é assim que devemos fazer, sem muitas perguntas. Ele tinha sido desafiado pelo Senhor a  levantar todas as manhãs para orar e ler a Bíblia, mas ao mesmo tempo sabia que não conhecia Jesus como essas pessoas conheciam. Um novo grito veio de seu coração a conhecer a Jesus tão autenticamente, igual aos africanos.

Jesus me salvou
Mais tarde, naquele mesmo ano, este grito começou a ser respondido. Quando voltava de uma visita, David viu uma tempestade atrás dele que colocou um grande temor em seu coração. Ele decidiu tentar fugir da tempestade, mas isso se provou fútil, e logo ele se viu no meio de uma chuva torrencial. Ele estava perto de casa quando um raio atingiu o solo não mais de 20 pés na frente dele com o cavalo a galope. Depois veio o trovão ensurdecedor. Ele foi atirado de seu cavalo e enquanto caia, ele gritou: "Jesus! Salve-me! Salva-me! "
Embora já tivesse certeza da salvação, esta chamada por Jesus rompeu uma barreira espiritual. Imediatamente após o seu pedido, ele sabia em seu coração que ele foi salvo. Nada em volta dele havia mudado, mas era como se tudo dentro dele fosse novo. O medo se foi e ele sentiu Deus próximo a ele. Ele olhou para as nuvens perguntando se era em tais nuvens Jesus voltaria à Terra. Ele desejava tão fortemente encontrá-Lo face a face! Ele montou em seu cavalo novamente e foi para casa. Quando chegou em casa, sua mãe perguntou como ele tinha conseguido escapar da tempestade. Sua resposta foi simples e direto ao ponto: "Bem, Jesus me salvou."
A SEDE PREENCHIDA

Alguns anos mais tarde, em 1918, com cerca de treze anos de idade, David desejava receber o enchimento do Espírito Santo com todo o seu coração. Enquanto parecia um pedido estranho, ele pediu ao diretor da por um dia de folga da escola para que ele pudesse passar em oração. Esta foi concedida. Porque os pentecostais ainda eram vistos com grande desconfiança na área, o único lugar que poderia orara era o armazém de um fabricante de caixões. Então David, seu pai, e meia dúzia de outras pessoas interessadas em ajudar em sua busca se reuniram neste armazém com ele para jejuar e orar até receber este batismo.

Eles oraram durante toda o dia de sexta-feira até a noite de sábado. A essa altura, eles estavam cansados, e os nervos de Davi foram se desgastando com a frustração. Uma menina de fazenda cerca de um ano mais velha do que David, veio a ele para dar-lhe uma mensagem que ela sentiu que tinha da parte do Senhor: "Se você confessar a única coisa que está em sua consciência, ele vai batizará com o Espírito Santo ".

Pesquisando sua consciência, ele descobriu que a mentira que ele tinha dito a seus pais, sete anos antes ainda o perturbava. Ele prontamente confessou isso para ambos os pais, que tão prontamente perdoou-lhe, e com sua consciência agora apagada, ele retornou à oração não sentindo mais, mas livre para ser cheio do Espírito de Deus. No entanto, foi neste momento em que recebeu sua primeira visão. Ele viu um livro que estava sendo segurado por duas mãos cujas páginas eram totalmente um branco puro. Então ele ouviu uma voz dizer: "Não há nada registrado contra você. O sangue de Jesus Cristo, o Filho de Deus o purificou de toda injustiça. " 5 Seu coração se encheu de alegria com isso, e ele irrompeu em gargalhadas santo que logo deu lugar a um fluxo de falar em línguas.
David finalmente surgiu a partir deste para começar a desenvolver suas habilidades e unção como um pregador de rua no evangelismo semanal ao ar livre patrocinado pela sua igreja em Ladybrand e em outros lugares. Em uma voz cada vez mais forte e persuasivo, ele contava seus testemunho de novo e de novo e recebia testemunhos fortes de todos os seus ouvintes.
Primeiros Anos de Davi no Ministério
Quando o dinheiro acabou ele trancou a faculdade e se mudou para Pretoria para encontrar trabalho nas estradas de ferro sul-africanos. Enquanto em Pretória, tornou-se ministro regular no Cenáculo, uma série de quartos e uma sala de reuniões acima uma farmácia a uma quadra da maior Igreja Reformada Holandesa, em Pretória. Desde sempre, a igreja Reformada Holandesa olhava para os pentecostais como os falsos profetas, era sempre interessante aos domingos para ver as duas igrejas esvaziando as ruas onde se misturavam de um lado as mais altas autoridades e líderes empresariais do país e do outro os pobres “ apostólicos “ da cidade.
Foi então que um dos membros da igreja holandeza pediu a  David para falar com sua sobrinha desviada. Foi então que ele conheceu a senhorita Anna Cornelia Jacobs. Imediatamente David se aproximou da moça e lhe perguntou sobre a autenticidade de sua conversão, e em contar a ele sobre isso ela derreteu e começou a chorar. Antes de a noite acabou, ela foi restaurada para a fé, e David tinha uma palavra muito especial do Senhor sobre ela. O Senhor simplesmente lhe disse: "Essa é a sua esposa." Chocado, ele não sabia o que fazer com ela, mas ele estava grato por  ela ser tão bonita. Dois dias depois, eles tiveram seu primeiro encontro, e seu namoro durou 18 meses. Eles se casaram no dia 13 de agosto de 1927, eles tiveram sete filhos juntos, Anna Cornelia "Corrie" (1928), Eunice Elizabeth (março a dezembro de 1932), David Johannes (1933-1985), Philip Richelieu (1940-), Peter Louis le Roux (1944), Matthew Kriel (1947) e Basel Somerset (1949). O casamento duraria pouco menos de 60 anos.
David foi ordenado com a idade de vinte e cinco. Em 1932, ele terminou em segundo lugar nas eleições do secretário-geral da Missão da Fé Apostólica (AFM) e ganhou o cargo em 1936, que ocupou até que renunciou em 1947.
Foi como secretário-geral da AFM que David ajudou a organizar a turnê de Smith Wigglesworth, quando ele veio para a África do Sul. No mesmo ano David foi eleito secretário-geral. David ainda era um jovem de trinta anos na época.
Smith Wigglesworth Visita a África do Sul
Quando Rev. Wigglesworth veio a ele, David não era fã das grandes igrejas denominacionais. Seus desentendimentos com a Igreja Reformada Holandesa, que consideravam os pentecostais pouco melhor do que os hereges na melhor das hipóteses, influenciou muito suas opiniões sobre as igrejas tradicionais da época. Sua esperança era que o Batismo do Espírito Santo tocasse verdadeiros crentes fora das principais denominações, e em igrejas pentecostais. No entanto, a essência da profecia de Rev. Wigglesworth para ele era que ele tomaria Pentecostes para eles e não o contrário, que este jovem da África do Sul seria escolhido de Deus para viajar para os Estados Unidos e ser um grande catalisador da Renovação Carismática nas denominações tradicionais. Foi assim  que, Rev. Wigglesworth colocou  este jovem contra a  parede  em 1936, e disse-lhe que Deus o levaria, na segunda metade do século XX para a América do Norte.
Em 1937, David foi convidado para dirigir o Conselho Geral das Assembléias de Deus em Memphis, Tennessee. Esta não foi apenas a sua primeira viagem para os Estados Unidos, mas também a sua primeira viagem para fora da África do Sul. David também foi fundamental para a organização da primeira Conferência Mundial Pentecostal, que foi realizada em Zurique, Suíça maio de 1947.

 David acabou dando o discurso de abertura da conferência, uma mensagem intitulada "recolher o trigo e queimar a palha", sobre uma vida de maturidade que Cristo tem para todos nós. Não muito tempo depois disso, Deus falou com David sobre mais de um ministério mundial, e ele renunciou ao cargo de secretário da AFM e mudou com sua família para a Basiléia, na Suíça.