15 de julho de 2015

Oliver B. Greene - 200.000 convertidos para Cristo

Oliver B. Greene
Oliver Boyce Greene Foi um pastor batista independente que nasceu nos EUA em 1915. Se converteu com a idade de 20 anos e levou mais de   200.000 pessoas a se encontrarem com Jesus durante o seu ministério. Fazia reuniões de avivamento em tendas e em igrejas em toda costa  leste dos Estados Unidos por mais de 35 anos. Greene  escreveu mais de 100 obras entre livros e tratados.
Em 1956, ele fundou  a Hora do Evangelho (The Hour Gospel) que era um programa de rádio que ia ao ar a partir de uma estação na Geórgia . A  Hora Evangelho cresceu e chegou a ser ouvida em 150 estações ao redor dos Estados Unidos. 
.
  

Oliver B. Greene em um sermão no rádio disse: “Não obstante, o que este verso quer dizer? ‘Pois muitos são chamados, mas poucos escolhidos.’ Neste capítulo [22] o Senhor Jesus conta a parábola da festa de casamento. Aqueles que foram convidados recusaram comparecer. Então o Senhor disse aos servos, ‘Ide... pelas encruzilhadas dos caminhos, e a quantos encontrardes, convidai-os para as bodas.’ Os servos fizeram conforme foram ordenados e o casamento ficou cheio de convidados. Muitos foram convidados que não compareceram – por uma razão ou outra eles não vieram.... Eles recusaram vir. Então o convite foi enviado a todos. Muitos foram convidados, mas poucos foram escolhidos – poucos vieram em vista do convite.

 Neste dia maravilhoso de graça dezenas de milhares estão ouvindo o evangelho, e ouvindo o evangelho eles são convidados a estar presente nas bodas do Cordeiro; mas poucos estão aceitando o convite. Muitos estão sendo chamados pela mensagem do evangelho – a Palavra chama, mas eles recusam responder ao chamado. Aqueles que respondem ao chamado são escolhidos para ter lugar nas bodas no céu (Ap 19.7-10).” 
 
A IGREJA DE LAODICEIA
Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente!” – Apocalipse 3.14-18 
A igreja que não é quente nem fria deixa Cristo doente! Não duvido que o “evangelho social” de hoje em dia, repleto de suavidade, que garante que somos todos irmãos, que diz o que os ouvidos querem ouvir, também deixa Cristo doente, como ocorreu com a igreja de Laodiceia.
O tipo mais baixo, mais vil de ladrão que existe é o pastor que ocupa o púlpito domingo após domingo, mas não avisa aos seus ouvintes que se eles não nascerem de novo, irão queimar no inferno. O ladrão comum rouba os nossos bens materiais—joias, dinheiro — contudo o pastor moderninho rouba nosso direito ao Céu!
A situação caótica em que o mundo vive hoje deve ser uma preocupação dos pastores. Os mensageiros de Deus receberam a promessa, o poder e a munição para bombardear Satanás, todos os demônios e os seres do inferno, mas ainda não carregaram as armas nem atiraram as bombas do evangelho contra o reino do diabo!


Tenho certeza que Satanás anda satisfeitíssimo com os pastores que andam atirando com armas de brinquedo munidas de frases como “os acadêmicos concordam”, em vez de dispararem o canhão da verdade do evangelho, “Assim diz o Senhor!”.

Deus não se preocupa com quantos sermões um pastor prega, desde que a pregação nãos seja feita em “[...] linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e poder”. (1Co 2.4).
(Sword of the Lord - Oliver B. Greene)

http://www.forgottenword.org/articles2.html