8 de setembro de 2013

James O. Fraser - Herói desconhecido


James O. Fraser

Alguns dos mais preciosos servos de Deus passaram pela vida escondida e despercebidamente. Esquecidos e ignorados pelas massas religiosas, eles prosperam nas trevas e solidão. Suas vidas humildes parecem cantar docemente essas linhas negligenciadas do hino de Charles Wesley, "Mantenha-nos pequenos e desconhecidos, valorizados e amados por Deus."

William Jay, o pregador Inglês, escreveu: "Muitos que são grandes aos olhos do Senhor estão vivendo em casas e casebres, e são pouco conhecidos ..."

James O. Fraser, da China Inland Mission, era um desses escolhidos servos de Deus que estava satisfeito com o trabalho na obscuridade quase total. Este homem foi um pregador talentoso,  estudioso de línguas,  gênio musical e engenheiro. Ele veio para a província de Yunnan  na China, em 1910, com um anseio do coração para as almas dos Lisu, povo tribal quase esquecido. Como Fraser deu-se ao trabalho de alcançar o Lisu, ele ficou um pouco esquecido. Durante anos, ele morava sozinho, escondido atrás das grandes cadeias de montanhas do extremo oeste da China. Poucas pessoas realmente sabiam sobre James Fraser.

Havia um ar de mistério sobre este homem talentoso que tinha escolhido uma vida num mundo primitivo e distante do que estar entre a nobreza inglesa sobre os aplausos em uma sala de concertos Inglês.

Alguns disseram que era absolutamente errado para Fraser desperdiçar e enterrar seus dons no campo missionário. No entanto, o Sr. Fraser foi grandemente usado por Deus, através da oração e do trabalho de amor para transformar multidões de Lisu da escravidão do demônio para a adoração a Jesus Cristo.

Depois de dominar a difícil língua Lisu , ele desenvolveu seu próprio "Fraser Script" e traduziu a Bíblia para o dialeto tribal. Em 1916 houve um movimento real do Espírito entre os Lisu, resultando em sessenta mil batismos em apenas dois anos. A igreja Lisu continuou a crescer e, eventualmente, tornou-se um dos maiores grupos cristãos tribais no mundo.

 O sucesso de J Fraser não era o resultado de seus talentos impressionantes ou intelecto gigante. Mr. Fraser fez sucesso onde outros muitas vezes falharam, porque ele tinha aprendido a tocar a Deus através da oração. Isolado e escondido atrás das montanhas, ele foi obrigado a buscar a Deus para todas as suas necessidades. "Para saber quem era realmente Fraser era preciso ouvi-lo em oração. Oração foi  o sopro de vida para ele, e em oração, ele parecia deslizar de tempo para a eternidade." Para muitos de nós a oração não é uma primeira escolha, mas um último recurso. Fraser tinha aprendido por pura necessidade de orar fervorosamente e continuamente. "Muitas vezes a montanha iria testemunhar o clamor, inoportuno, sem dar descanso a Deus deste homem que contava seu tempo de oração  não por minutos, mas por horas.

" Fraser não era um homem que se limitou a dizer orações, cada vez que ele orava era como se fosse um parto, um nascimento de uma obra, uma aventura, uma conquista. Ele sabia que a necessidade espiritual de luta e agonia em oração.

Ele escreveu em seus diários: "Como grande parte da nossa oração é a qualidade que encontramos na amargura da alma de Ana, a mulher de Elcana, mãe de Samuel," quando ela orou ao Senhor? Quantas vezes nós já "choramos muito" diante do Senhor? Temos orado muito, talvez, mas nossos desejos não foram profundos em comparação com a dela. Nós gastamos muito tempo em nossos joelhos, pode ser, sem os nossos corações suplicarem com desespero, como fez Ana.

Agonia de alma e desejo sincero como o de uma criança, não se pode prevalecer em oração sem isso. Um desejo não da terra, nem da vontade do homem, mas do trabalho em nós pelo próprio Deus. Oh para tais desejos Oh para a seriedade de Ana.. , não só em mim, mas em todos os que estão se unindo em oração por esses pobres aborígenes pagãos . "

 Para nossa vergonha, algumas das disciplinas espirituais mais básicos dos nossos antepassados ​​divinos tornaram-se estranho e desconhecido para muitos de nós. “ Uma das armas mais eficazes dos santos do passado era a disciplina da oração."


J O Fraser praticou e incentivou  esta poderosa realidade. Sobre este assunto o Sr. Fraser escreve: "Devemos estar preparados para uma guerra séria", e, havendo feito tudo, ficar firmes ", devemos lutar antes da guerra e depois receber a vitoria no campo de batalha.

Pois não é este o segredo de muitas orações não respondidas, que elas não são combatidas até o fim? Se o resultado não são visto assim como esperado, os cristãos tendem a perder o coração, e se o resultado não vem logo, ele tende a abandonar o oração por completo.

Você sabe o nome que eles dão para lugares na Inglaterra, quando o edifício é abandonado antes de terminar, quando apenas metade do que é concluída?

 Devemos contar o custo antes de orar a oração da fé. Devemos estar dispostos a pagar o preço. Devemos fazer disso um estilo de vida. Temos que nos propor a  "ver as coisas" (Ef 6:18: "Em toda a perseverança '). " Lutar contra os espíritos demoníacos é uma realidade diária da sobrevivência espiritual. A guerra espiritual não é aprendido em nosso tempo de lazer, mas é empurrado em cima de nós quando começamos a ameaçar o reino das trevas.

Em 1913-1914, James Fraser passou por um momento de profunda opressão espiritual que o obrigou a lidar com questões que muitos preferem ignorar. Como Fraser estendeu a mão para o povo  Lisu, que estava espiritualmente cego e trancafiado pelos ferrolhos do inferno, ele se tornou o objeto de um ataque demoníaco intenso. Ele acabou  entrando em uma depressão paralisante e desesperadora. Ele logo começou a questionar até mesmo os próprios fundamentos da sua fé em Deus. "Profundamente eram as fundações abaladas naqueles dias e noites de conflito, até Fraser percebeu que por trás de tudo eram" poderes das trevas ", buscando dominá-lo.

Ele então se atreveu a invadir o reino de Satanás, agora, ele próprio estava sendo atacado, e foi uma guerra de morte, espiritualmente. " Fraser foi muito ajudado nesta luta espiritual pela chegada oportuna de uma revista produzida por Jessie Penn-Lewis chamado o vencedor. "O que ela me mostrou", Fraser escreve ", foi a de que a libertação do poder do Maligno vem através da resistência definitiva no caminho da cruz. Eu sou um engenheiro e acredito em coisas de trabalho. Quero vê-los trabalhar. Eu descobri que a maior parte do ensinamento espiritual que se ouve não parecem funcionar.

Minha descoberta e entendimento sobre o mundo espiritual estavam em conflito, minha entrega total ao serviço já não era suficiente. Descobri então que era necessário levar a luta até o terreno da cruz e comecei a falar com autoridade, que eu era filho do Deus vivo e que Jesus estava em mim e eu era seu enviado. “ “ “Resisti ao diabo e ele fugirá de vós” . Comecei a declarar palavras de vitória e certa vez falei para Satanás: Pra trás de mim Satanás!

( Tg 4.7)Assim como Jesus falou, eu também, em humilde dependência Dele, também, falei e toda a nuvem de depressão espiritual começou a se desfazer. Usando as promessas da bíblia com armas, comecei a fazer guerra em oração e isso também funcionou muito.



Mas apesar disso, Frazer começou a se sentir cada vez mais insatisfeitos com o que muitos consideravam ministério bem sucedido. Ele reconheceu como nunca antes a tremenda necessidade de verdadeiro avivamento no campo e em casa. Seu coração agora ansiava por uma poderosa visitação da glória de Deus. Quando Deus cria um novo desejo dentro de nós, podemos sempre ter a certeza de que Ele está se preparando para se mover. Enquanto em licença, os anseios de Fraser foram confirmados  através da oportunidade de ouvir o missionário avivalista Jonathan Goforth.

Sra. JO Fraser descreve este evento importante na vida de Fraser. "Como o velho homem  de Deus se levantou para pregar, uma enorme sensação da presença de Deus encheu o quarto, e quando ele começou a falar ficamos como que paralisados pelas trevas , mas pelo poder de Deus em suas  palavras,todo mal foi saindo e uma grande paz encheu o local, pois Goforth tinha sido dotado de uma unção divina sobrenatural vindo do próprio Deus e era inconfundível o mover do Senhor quando Jonathan pregava.

Fraser tinha ouvido antes dos grandes avivamentos protagonizados por Goforth  e tinha testemunhado  seu trabalho na China, mas  ouvi-lo falar foi inesquecível e deixou uma profunda carga sobre sua alma.

A grande questão em sua mente era se estavamos a trabalhar com o poder que Deus nos tinha prometido. " Novamente a Sra. Fraser escreve de novo fardo de seu marido: "Ele viu os muitos milhões de chineses não alcançados e o pequeno punhado de missionários, mas com a vinda de mais missionários haveria também a  necessidade de um poder muito maior.



 Fraser estava inquieto, porque a Igreja, tanto na  China como no estrangeiro parecia estar fazendo tão pouco impacto real no mundo. Passava horas em oração perguntando se precisamos voltar novamente aos apóstolos para os nossos exemplos e Pentecostes para nosso poder. " Agora era o início de 1930, e Fraser não estava sozinho em seu desejo de renascimento. O clamor por avivamento já estava subindo os corações de muitos missionários e cristãos chineses também.

De repente, Deus irrompeu, levantando Seus vasos escondidos para inaugurar um poderoso avivamento no norte da China. Foi aqui que  Fraser encontrou alguns colaboradores afins que também criam no avivamento e renascimento do evangelho, entre eles, Andrew GIH e John Sung da Banda Betel. Eles gastaram oras em oração juntos que muitas vezes duravam até as primeiras horas da manhã. Mr. Fraser descreveu este momento como a sua experiência mais feliz na China.

 Estes foram os dias de glória do renascimento Shantung com Bertha Smith e Marie Monsen.

Anna Christiansen da CIM e Watchmen Nee de "O Pequeno Rebanho"também foram colhendo frutos do renascimento neste momento.

 Independente de qual ministério agia, a mensagem era essencialmente a mesmo:

-A exposição do pecado secreto,

-Um chamado ao arrependimento profundo,

-A necessidade de restituição e

-A esperança de vitória total através do sangue e do poder do Espírito Santo.



"O Reino de céus sofre violência, e os violentos o tomam pela força. " Mateus 11:12. A vida de James Fraser era um exemplo vivo desse versículo. Como Fraser, devemos nos propor com  humildade de  fazer a guerra na luta da fé. Nossas orações devem ir além da mera retórica sentimental e religioso. O que nós precisamos é o violento gemidos e gritos de oração de parto! Devemos aprender a ser violentos em oração com Satanás e nosso próprio orgulho pecaminoso.

O Rei Jesus está à procura de um povo que esteja sujeitos a Ele em toda a santidade e humildade, e ainda permaneço na fé corajosa contra os poderes das trevas. (Tiago 4:7). Humildade à parte da fé corajosa se ​​torna desespero e fé sem humildade quebrantada torna-se presunção. Verdadeira vitória e renascimento finalmente virá quando os pobres em espírito, aprender a andar na autoridade e poder do Espírito.