3 de setembro de 2013

Thomas Coke - O Pai das missões metodistas


Thomas Coke
por

John W. Cowart

John Wesley, fundador do metodismo, comparou a si mesmo e o Dr. Thomas Coke, o primeiro bispo metodista, com os insetos.

"Eu rastejo como um piolho", ele escreveu, " mas o Doutor salta como uma pulga.

Coke, era filho de um farmacêutico rico, fez o seu primeiro salto de fé do deísmo ao Cristianismo através de ele ler  livros religiosos.

"Não há fundamento para a misericórdia, nem esperança de salvação, mas somente através da morte de Cristo", escreveu ele.

A partir desta posição ele nunca recuou.


Ele organizou sociedades metodistas, fortaleceu e encorajou os crentes a atividade missionária. Seus esforços evangelísticos lhe rendeu o título de "Pai das missões  Metodista ".


No fervor evangelístico para missões Coke logo esgotou o dinheiro de sua herança, para apoiar os missionários, e depois dos recursos se esgotarem, foi a mendigar de porta em porta pelas ruas de Londres para levantar dinheiro para as missões.


Um andarilho de rua um dia falou sobre ele " Você sabe  alguma coisa de um companheiro nosso que se chama Dr. Coke,  que vai de casa em casa implorando dinheiro para os missionários, para enviar eles aos países que vendem escravos? Ele parece um pequeno anjo vindo do céu, ele me convenceu a dar dois guinéus  esta manhã ".


Sua oposição ardente contra a escravidão fez com que ele não só  enviasse missionários a áreas escravista, mas fosse para lá pessoalmente e também arrumasse muitos inimigos.

Nas Indias Orientais, marinheiros bêbados interrompiam seus sermões, os proprietários chicoteavam qualquer escravo que ousasse ir ter com ele para orar, e o governador o baniu das ilhas.


Coke, apelidado por Wesley de “ pulga”  sempre pulou como uma , fez nove viagens de ida e volta entre a Inglaterra e a América. A situação dos escravos na América dava nojo a ele e ele escreveu cartas ao presidente George Washington denunciando escravidão.

Mesmo que a Coke fosse leal a coroa britânica, o presidente Washington o convidou para pregar em 1804 em uma sessão do Congresso dos Estados Unidos.

Coke casou  tarde, aos 58 anos casou-se com Penelope Smith, que compartilhou seu fervor evangelístico e liquidou sua propriedade para apoiar missionários.

O casal começou seu casamento desabrigados, sem dinheiro e sem casa, pois venderam tudo para ajudar os missionários.  Ele  e sua esposa tinham uma  uma espécie de carruagem casa móvel para levá-los em viagens evangelísticas na Grã-Bretanha. Logo após do dia do casamento, eles cobriram 400 milhas nas próximas seis semanas de pregação, estabeleceram escolas dominicais, distribuindo literatura, e    "trabalhando para fazer o bem, mesmo quando o carro estava em movimento," Coke escreveu. "Nós estávamos sempre viajando, continuamente em casa,mesmo não tendo casa, mas tendo a  Deus."


Seu texto favorito Bíblia era ", Etiópia estenderá as mãos para Deus" (Salmo 68). Ele usou a Escritura o tempo todo para fazer dos metodistas um povo missionário.

"Missões nacionais e estrangeiros preocuparam ele durante décadas. Quatro viagens para as Índias Ocidentais, uma viagem para a Serra Leo, na África, a fiscalização do trabalho Metodista na Irlanda, a prestação de missionários metodistas na Escócia e no País de Gales, arranjando para divulgação semelhante em Terra Nova e Nova Escócia. Quando o dinheiro acabava, ele mesmo de seus próprios recursos sustentava os missionários enquanto podia e assim o fez durante toda a sua vida. Que dívida, tem a igreja com esse homem, que não mediu esforços nem dinheiro para levar a diante a mais Nobre de todas as obras.