4 de maio de 2014

Lavinia Bartlett

Lavinia Bartlett
A história de uma serva desconhecida
Por, Betty Henderson


Nos  anos em que a Rainha Vitória reinou, Charles Spurgeon era um gigante nas mãos de Deus. No entanto, mesmo um grande pregador não poderia realizar sozinho todas as grandes obras que Spurgeon fez para a glória de Deus. Na sombra do Sr. Spurgeon, inúmeros homens e mulheres serviram ao Senhor no grande Tabernáculo Metropolitano. Esta é a história de apenas um desses "servos desconhecidos".
O nome dela era Lavinia Bartlett.

Sra. Bartlett começou sua vida como Lavinia Hartnell em 1806, em Hampshire, Inglaterra. Aqui, ela começou o que seria um ministério de ensino ao longo de sua  vida. Seus primeiros alunos eram seus irmãos. Ela cuidadosamente passou para eles o conhecimento da Bíblia, nesse  meio tempo freqüentou cultos em uma pequena capela evangélica  não-conformista próxima de sua casa.


Mais tarde, ela se tornou uma professora de escola dominical na capela, e sua sinceridade e fidelidade lhe rendeu o título de " professora de pastores" já que ensinava sobre  a "pregação em suas classes." O futuro era incerto  para Lavinia, mas Deus já estava preparando tudo, pois todas as coisas cooperam para o bem dos que amam  ao Senhor.

Precisando para ajudar a aumentar a renda de sua família, Lavinia se tornou a professora de mais um grupo de estudantes, quando ela organizou uma escola para jovens senhoras. Por dezesseis anos, ela ensinou e treinou inúmeras meninas que de outra forma não teriam sido educadas. Ela também ensinou-lhes a habilidade de costura, e com a ajuda de Deus, as alunos foram capazes de vender seus artesanatos para os varejistas conhecidos em Londres.

Na idade de 30, ela se tornou a Sra. Bartlett e se mudou para Londres com seu novo marido, Mrs. Bartlett. Ela não se adaptou ao clima  úmido e esfumaçado de Londres e  desenvolveu uma doença cardíaca grave, o que levou a sofrer por vários anos. Mais tarde, ela sofreu mais dor ainda quando seu marido a 17 anos morreu de repente de cólera.
Lavinia já havia sido abençoada com o nascimento de dois filhos, Edward e George. Como viúva, ela se dedicou ainda mais ao ensino bíblico e sempre fazendo seu trabalho  com muita oração e grande fidelidade.

Enquanto isso, em outra área de Londres, um jovem pregador, e não muito mais velho do que seus filhos estava chamando a atenção de Lavinia, seu nome era  Charles Spurgeon, que  foi chamado para pastorear a capela da rua New Park, em 1854, com a idade de 20 anos. Notícias deste jovem pregador logo atingiu os filhos de Lavinia, e eles logo se juntaram a multidão que ia ouvir esse inflamado jovem  pregar. Ambos os filhos de Lavínia  foram salvos e batizados através do ministério do Pastor Spurgeon.
Quanto a Lavinia, ela não queria nada com o "menino prodígio". Ela insistia que Spurgeon estava fazendo sensacionalismo e apelo emocional. Certamente ele era uma moda passageira,dizia ela e por algum tempo, ela resistiu convites de seus filhos para se juntar a eles na Capela. Um dia ela , ainda hesitante concordou em ouvir Spurgeon e depois de ouvi-lo uma vez, já não quis mais ir para outro lugar e com a idade de cinqüenta felizmente ela se juntou a seus filhos como um membro do que viria a ser o Tabernáculo Metropolitano. 

Não demorou muito para que a Sra. Bartlett se engajasse no trabalho juntamente com outro diácono Thomas Olney e ela então assumiu o trabalho em uma classe da escola dominical. Apesar de sua saúde limitar sua dedicação, felizmente, o chefe dos diáconos Olney continuou a insistir que ela ensinasse na classe, que viria a ser conhecido em toda a Grã-Bretanha como " A Classe da Senhora Bartlett. "

Ela ensinou nessa classe por 16 anos, e Deus usou muito essa humilde "serva desconhecida". Conforme os anos passaram, a classe chegou ao número quase 800 mulheres de todas as esferas da vida. Humanamente falando, se quer saber como uma pequena mulher frágil tinha a força e a capacidade de ensinar tantos enquanto sem a ajuda de um sistema de som! Com a sua voz suplicante ela regularmente fazia o seu desafio familiar para as mulheres: "Mantenha perto da Cruz, minhas irmãs"
O grande projeto de Lavinia era ver as mulheres carentes virem a Jesus, serem  batizadas e participarem de sua amada igreja “Metropolitan Tabernacle de Londres”.

Ela continuamente visitava e incentivava as mulheres a viverem para Deus. Diáconos do  Tabernáculo, e o próprio Spurgeon, freqüentemente solicitavam que ela visitasse as mulheres que precisavam de conforto, encorajamento e orientação.

Muitas vezes, o pastor falava de seu ministério valioso. Ele declarou publicamente que mais de mil mulheres haviam se tornado membros de sua igreja através do ministério dessa  "servo do Senhor", a Sra. Bartlett

“Spurgeon considerava a Sra. Bartlett como seu braço direito no ministério da palavra, e sempre lembrou dela com a mais profunda gratidão a Deus por ter conhecido essa zelosa diaconisa". 2 ]
Quando ela morreu, em 1875, seu amado pastor levou a família da igreja em luto pela perda de sua querida irmã em Cristo. Ele pregou no seu funeral diante de milhares no Tabernáculo, e depois levou multidões de enlutados quando seu corpo foi sepultado em Dissidentes Row, Nunhead Cemetery, ao sul de Londres.

Por mais de 11 anos o meu pastor me confiou o ensino da Bíblia de Estudo das senhoras no Colonial Hills Baptist Church. Tenho dito muitas vezes nossas senhoras sobre o testemunho de Lavinia, e seu fervoroso amor, zelo e responsabilidade para as almas das mulheres. Tenho frequentemente dirigido  classe para  senhoras e sempre cito esta pequena mulher Inglesa  do século 19. Seu exemplo ainda ecoa em muitos corações e se nós quisermos ser servos fiéis temos que nos  "manter perto da cruz, !" 
Inscrição no seu túmulo:
Em memória afetiva de
LAVINIA Bartlett,
Que partiu para o seu
destino feliz no céu
em 02 de agosto de 1875
aos  69 anos.
Os pastores, diáconos e
Anciãos da igreja do
Tabernáculo Metropolitano
Unem-se com sua classe para
 erigir este memorial
Para esta sublime mulher.
Ela era de fato
"Uma mãe em Israel."
Muitas vezes, ela disse: "Mantenha perto do
Cruze, minhas irmãs. "
"Ela também, apesar de não estar mias entre nós

 ainda fala."
Hebreus 11:04