31 de maio de 2014

Robert T Ketcham Obediente até a morte


Robert Ketcham era um menino teimoso. Apesar de ter pais piedosos, amorosos, ele recusou-se a seguir a Cristo. Ele deliberadamente quebrou todas as regras de sua casa. Uma maneira que ele fez isso foi a ler os romances e revistas mundanos que seu pai disse que não podia trazer para dentro de casa. Aos dezesseis anos, cansado de seus esforços para discipliná-lo, ele saiu de sua casa na Pensilvânia, dizendo a seus pais que ele não mais voltaria.


Seu pai, antes dele  partir disse para ele: "Filho, se você encontrar qualquer dificuldade lá fora, basta avisar o seu pai." Essas palavras enfureceram ainda mais Robert, que estava totalmente convencido que não precisaria da ajuda de ninguém. 


Com corações partidos, seus pais oraram muito por ele. Robert porém seguia nos vícios, fumando, bebendo e frequentando salões de jogos e conseqüentemente começou a ter muitos problemas.
Quatro anos se passaram  antes de Robert reconhecer a sua necessidade por um salvador.  Neste dia, 16 de fevereiro, 1910 , ele ouviu como Harry S. Tillis pregado em Galeton, na   Igreja Batista. Ele pediu a Jesus para ser seu salvador naquele dia. Mas ele não perseverou em sua decisão e durante um ano, houve pouca melhora em seu comportamento. Ele então voltou a seus antigos pecados.
WW Rugh liderou uma conferência bíblica de uma semana na igreja. Robert planejava ir somente uma vez, no entanto, a apresentação de Rugh no  domingo foi tão interessante que ele voltou a ouvir mais. Robert entretanto, com pouco ou nenhum conhecimento das Escrituras,  pensou que Rugh estava blasfemando quando ele ensinou que “Deus, o Pai,  amava cada cristão tanto quanto ele amava Jesus”.


Ele esperou por um dos líderes da igreja - seu próprio pai, mesmo - para desafiar Rugh. Quando ninguém o fez, Robert se levantou. "Mr. Rugh, eu não acredito nisso!" Por favor, Rugh começaram a questionar o rapaz. Será que ele acredita que, se a Bíblia diz isso? Sim, Robert faria. Sabendo que Robert não tinha uma Bíblia, Rugh pediu-lhe que leia João 17:23 que ele disse que provou isso. Robert não sabia onde encontrar o verso quando Rugh emprestou-lhe sua Bíblia.
Então Rugh ajudou: “Nesse verso Robert,  lemos que Deus amou cada um de seus filhos tanto quanto Cristo. Quando o impacto dessas palavras chegou ao coração de Robert, esse  jovem caiu sobre sua cadeira e chorou”. 
Ele então disse a Deus que Deus poderia ter toda a sua vida. Outros choraram com ele, por também  reconhecerem terem negligenciado tão grande verdade.

Robert comprometeu-se a devotar completa obediência a Deus. Dois anos depois, ainda inexperiente, ele aceitou uma posição como pastor de uma pequena igreja. Um  avivamento começou na pequena cidade, onde em um ano se batizaram mais de 400 pessoas.

Eventualmente, a determinação de Robert para seguir a Deus o levou a desafiar o modernismo na denominação Batista do Norte. Quando as questões cruciais da fé não puderam mais se conciliar, ele se tornou um líder na formação da Associação Geral de Igrejas Batistas Regulares, que eram um segmento não liberal da igreja batista.

 Durante anos, ele editou o seu jornal, o Boletim Batista, onde sempre expunha a sua visão;
-Pregar a Cristo.
-Ministrar todo o conselho de Deus.
-Expor todo o erro do evangelicalismo liberal.
-Obedecer a Deus.
-Estar disponível para o povo.


.
Em toda sua vida foi um pregador fundamentalista Batista conhecido por seu terno cuidado daqueles que estão sob seus cuidados, um amor ardente por Jesus Cristo e Sua Igreja, e uma denúncia agressiva e separação de apostasia. 

Ketcham foi fortemente envolvido na controvérsia fundamentalista-modernista. Isto lhe valeu o título de "Bob brigador" de seus inimigos que não apreciavam sua   exposição militante a erros teológicos e a sua incansável luta para alertar as pessoas  sobre o erro de novo evangelicalismo.

Ele morreu em 1978, obediente até o fim.