3 de fevereiro de 2016

DANIEL NASH - A ORAÇÃO TRIUNFANTE

DANIEL NASH
Quando este santo homem de Deus era jovem e caminhava sobre as ruas de Rochester, NY, ele ainda não sabia que o Senhor já estava derramando sobre ele “o Espírito de súplicas e intercessão”, pois o mais tarde famoso avivamento de Rochester, que salvou mais de 100.000 almas teve em Daniel Nash e seu colega Clary uma das principais 
figuras, juntamente com Charles Finney.






Charles era o pregador e Daniel era o intercessor. Esses dois homens, pelo que era reportado sobre eles, não tinham sido encontrado iguais a eles, homens que orassem com tanto fervor. Eles se entregavam tanto, que a oração deles se tornava em agonia pelas almas perdidas, tanto era o peso que Deus colocava no coração deles. Tamanha devoção trouxe também acontecimentos que hoje são difíceis de acreditar pois nossa igreja já não mias conhece esse tipo de Shekinah  ( glória de Deus ).
O próprio Finney chegou a declarar sobre esses dois gigantes da fé: “Nossas singelas orações alcançam tão pouco e isso é porque talvez elas nos custaram tão pouco, eu nunca conheci uma pessoa que enquanto orava chegava a suar sangue, mas eu conheci um homem que de tanto orar chegara a sair sangue pelo seu nariz e também conheci pessoas de na oração chegavam a molhar toda a roupa de seu corpo e isso em pleno inverno no norte do Estado de Nova York.
 Eu conheci pessoas que oravam por horas a fio até as suas forças se acabarem, pois eles se derramavam perante o Trono do Senhor. Essas orações custaram caro e subiram como sacrifício agradável ao Senhor. 

A oração agonizante estava presente nos dias do avivamento de Jonathan Edwards e durante o avivamento de Rochester não foi diferente. Nash and Clary se reuniam para jejuar e orar soluçando e chorando diante do Senhor Jesus a favor dos perdidos. Tamanha era a convicção desse homens que quando terminavam de orar caiam exaustos, sem forças para levantar e suas preocupações com os pecadores condenados traziam grande stress em suas mentes e corações.

 Eram realmente grandes batalhas travadas nas regiões celestiais, eles lutavam contra potestades e principados, arriscavam sua saúde, seu conforto e sua família por causa do amor de Cristo que os constrangia. Não eram pregadores, mas podiam orar, e isso faziam de todo coração, toda alma e todo entendimento. Sempre triunfavam em oração, milhares de almas eram salvas, mudanças aconteciam nas cidades que passavam, bares fechavam, inimigos se reconciliavam, não era somente pessoas voltando para as igrejas, mas profundas transformações sociais que mudaram a história dos Estados Unidos e transformaram aquele pais no maior e melhor pais do mundo na época.

O Édem desceu a terra naqueles tempos de refrigério da parte do Senhor. Em secreto eles oraram, não se tornaram conhecidos, ninguém quase nunca ouviu falar de Daniel Nash e nem de Clary, o qual nem seu sobrenome é mencionado nos escritos antigos, mas esses dois homens eram temidos no inferno e amados no céu. Na época do avivamento, praticamente toda Rochester se converteu. O único teatro da cidade fechou as portas e foi transformado em um tipo de comércio de ração animal. O circo da cidade foi transformado em uma fábrica de doces e os bares e as tavernas foram fechados. 


Oswald Smith explica a importância da intercessão no avivamento americano durante os dias de Finney: “Ele sempre pregava com a grande espectativa de que a qualquer momento Deus derramaria o seu Espírito e enquanto isto não acontecia pouco ou nada era realizado, mas no momento em que o Espírito de Deus descia dos céus, o pregador não precisava fazer mais nada, apenas notificar o público que o Cordeiro de Deus estava ali. Assim ele viveu por anos nessa atmosfera de reavivamento. “Nós nos recusamos de passar sede e fome e nunca devemos ficar esperando pela vida inteira a chuva de Deus, pois o Senhor sempre quer mandar sua poderosa chuva”